MENU

Sunday, 19 de June de 2016 - 10:11Automobilismo internacional

#SOMOSTODOSTOYOTA

naopodeser

SÃO PAULO (como, como?) – Não dá para acreditar no que acabou de acontecer em Le Mans. Faltavam seis minutos para acabar a corrida quando o Corollão de Nakajima, liderando com alguma tranquilidade, parou.

Parou. Parou na linha de chegada uma volta antes de acabar. O carro apagou.

Depois, funcionou de novo. Mas era tarde. A Porsche levou.

Não sei ainda o que aconteceu. Mas foi a maior crueldade da história do automobilismo mundial.

* No GRANDE PREMIUM, Renan do Couto publicou o texto que já estava pronto para uma vitória da Toyota. Fica como curiosidade histórica. O texto que nunca seria publicado. Publicamos.

42 comentários

  1. João says:

    Injustiça foi terem roubado aquele campeonato do Massa. O cara cruzar a linha de chegada Campeão e depois perder.
    Não houve culpa do Hamilton ou daquele que foi ultrapassado por ele, mas sim dos maus carater Alonso e Piquezinho, ao simularem quebras e outras maracutaias.

  2. Ubaldir Jr. says:

    Perder a final com gol aos 48 do segundo tempo… moleza não. Vai demorar para os japoneses superarem essa.

  3. Christian - Do Niva says:

    Sinceramente, quero mais é que a Toyota vá a falência. Não tenho a menor simpatia por estes japoneses e seus carros insossos.

    • ALLAN PEREIRA GUIMARAES says:

      Não sou fã do design Toyota, mas não posso negar a qualidade de seus carros. Mais que isso, é uma empresa que se dedica ao automobilismo, diferente de tantas outras que vemos por aí. A Fiat, por exemplo, só ganha dindim – especialmente com o que vende no Brasil – e não quer gastar com nada. Assim, não se pode admitir que alguém que venha aqui (e não em um blog de futebol, ou política, ou mesmo de fabricantes específicos) dizer que quer que uma empresa que apoia o automobilismo vá a falência.

      • Christian - Do Niva says:

        Allan

        Se informe direito, não é defendendo a Fiat mas durante anos houve uma relação cruzada de capital, investimentos e gastos com automobilismo entre a Ferrari e a Fiat, tanto é que havia até a marca da Fiat nas Ferraris de F1 até 2014.

        Desde 2015 foi substituído pelo da Alfa, que permance no grupo FCA, logo tem dinheiro da Fiat ali.

        Salvo engano quando da criação da FCA a Ferrari/Masserati foi colocada a parte desta fusão.

        Tenho todo direito de não gostar da Toyota como não gosto da VW e torcer contra elas sim, por conta do airbag/acceleratorgate (Que a Toyota insiste que o problema é o fabricante do airbag e o motorista respectivamente) e o Dieselgate (precisa nem comentar).

        Vamos parar com este patrulhamento, tenho todo direito de divergir da sua opinião e você deve respeitar o meu direito de divergir da sua opinião.

  4. Paulo Pinto says:

    Efeito Mansell?

  5. Gustavo Henrique says:

    Quem venceu foi você, Toyota.

    Tem horas que todos amamos quem ”perdeu.”

    • ALLAN PEREIRA GUIMARAES says:

      Também não. Fizeram um corridão, mas perderam ao final, e tudo dentro das regras. Porsche venceu e pronto. Palmas para a Toyota por ter surpreendido e quase levado de forma história!

  6. Renato de Mello Machado says:

    Sobrenatural de Almeida.Será quê Nelson Rodrigues torcia pela Toyota?

  7. Celio ferreira says:

    Nakagima , homens choram quando perdem assim , mas choram quando vencem
    e as 24 horas de 2017 , será lagrimas de alegria,,,,

  8. Pisafundo says:

    Três Minutos.
    Faltavam três minutos. Inacreditável!

    #SomosTodosToyota

    https://www.youtube.com/watch?v=U1oAKdLyjfk

  9. Artur says:

    Que surpresa esse final. Mas ano que vem os alemães vão ter que se mexer, pq o carro dos japas foi o melhor desse ano, embora não tenham vencido.

  10. Felipe Souza says:

    Eu não era nascido quando aconteceu as Mil Milhas Brasileiras em 66, mas hoje vi a história que eu conhecia apenas por leitura acontecer pra valer. Podem me achar maluco, mas se tivesse fechado negócio com um Etios há cerca de um mês, teria descido hoje na garagem pra dar um abraço e falar que está tudo bem. Essas coisas acontecem.

  11. Sanzio says:

    Crueldade maior foi os caras da Porsche comemorando nos boxes. Faltou fair play.
    Se sou o Jani, passaria e teria feito a volta rastejando. Assim que o Corolla voltasse a andar, pararia na pista e devolveria a posição. Seriam aplaudidos em pé até na lua. Daqui 50 anos ninguém lembraria que a Toyota ganhou a LeMans em 2016 e sim o fair play da Porsche. Renderia muito mais em marketing e consagração da marca do que uma vitória em cima da desgraça do adversário.
    Seria tipo isso aqui: http://uolesporte.blogosfera.uol.com.br/2014/02/26/jogador-tenta-devolver-bola-marca-gol-e-equipe-da-exemplo-de-fair-play/

    • Rodrigo Vilela da Silva says:

      Eu pensei a mesma coisa. Tipo, colar na traseira e tentar arrastar o Toyota de volta.

      O problema é que o Toyota #5 foi desclassificado porque fez a última volta de forma muito lenta. Seria um risco que o #2 correria. Mas concordo que faltou fair play!

      O mesmo fair play que a Audi teve.

    • GustavoEgito says:

      Fala aí, Relâmpago Macqueen!

    • Eder says:

      Não iria fazer diferença, pois a última volta da Toyota foi lenta demais e eles consequentemente não seriam classificados, a menos que se abrisse uma exceção ao regulamento.

    • Anderson SP says:

      Saiu um vídeo do wec, com a Equipe Porsche cumprimentando a Equipe Toyota, fora as mensagens de solidariedade no Twitter e no Facebook.

    • Não concordo. Se a quebra do Toyota fosse causada por algum dos Porsches, ok, você estaria certíssimo. Mas não foi o caso. É do esporte, acontece. A prova dura 24 horas, seu carro tem que aguentar 24 horas nem um segundo a menos.

      É sim de partir o coração, mas é parte do esporte. A Porsche não desrespeitou o adversário. Na verdade, acho que o verdadeiro espírito esportivo é esse. É o mesmo que vemos no rugby, vemos algumas vezes no futebol e outros esportes: O respeito ao adversário está em você dar o seu máximo o tempo todo da competição, mesmo que seu máximo seja muito mais do que o adversário é capaz. Pergunta se os japoneses choraram após tomar mais de 100 pontos da Nova Zelândia numa partida de rugby? Pergunta se pararam de jogar?

    • Ubaldir Jr. says:

      Ah, aí não concordo. O carro tem que durar 24 horas, e não ser o mais rápido por 23 horas e cinquenta e sete minutos e quebrar. Justa a vitória, justa a comemoração. É a mesma coisa que querer que um time vença o campeonato aos 48 do segundo tempo em cima de um time invicto e não comemore, ou que deixe o outro time empatar por suposto merecimento.

    • Ivam Campos says:

      Claro! E também acho que o Lebron James deveria ter marcado uma cesta-contra na final da NBA! Afinal, o Golden State foi melhor durante toda a temporada e o Cavs deveria dar o título pro time californiano!

      Em 2007, foi sacanagem e falta de fair play da Ferrari! Quando viram o Hamilton com problemas, deveriam ter parado! E o Alonso deveria ter feito o mesmo!

      É cada uma…

    • Ulisses says:

      Eu estava assistindo, tive exatamente a mesma impressão, embora compreensível que no “calor” da disputa, algumas atitudes são na base da emoção pura.
      Tanto é que, revendo o vídeo, muitos na Porsche não comemoraram!

      Mas, também não gostei muito dessa cena nada simpática na Porsche, mesmo porque, comeram poeira mais de 23 horas!!!

  12. Luis says:

    Lembrou-me as Mil Milhas em Interlagos de 1966…

  13. GARLET says:

    Não achei injusto. Corrida só acaba quando termina. Ponto para a confiabilidade do carro alemão……………. dizer que não mereceu ganhar também seria injusto. Pontos de vista. Cada um tem o seu.

    • Fern Kesnault says:

      Tu fala isso porque nao assistiu a toda prova como assisti….então…nao é questao de ser injusto ou nao…..foi uma tragedia à uma equipe que trabalhou muito bem todo o final de semana pra chegar ao topo mais alto, mas infelizmente, o destino nao lhe escolheu….

  14. Geraldo says:

    Nestes momentos, não tem como não lembrar a famosa frase de Fangio : “Carreras, son carreras, y terminan cuando se baja la bandera de cuadros”.

  15. Adriano Silva says:

    Inacreditável. Mais que a Toyota, Nakagima merecia essa vitória !

  16. Wolfpack says:

    Oh Toyota, compre um Porsche ano que vem e corra Le Mans, assim pode nuclear a equipe de britânicos que ainda assim irá perder. Le Mans é terra da engenharia e não de blablablabla, de powerpoint e retórica. Quando são chamados a competição, sempre falham porque copiar aqui não o faz vencedor. Parabéns a marca do cavalinho de Stuttgart.

  17. joel lima says:

    Se fosse um filme, o roteirista seria massacrado pela crítica. Pode entrar na lista de maiores crueldades do esporte, sem dúvida.

  18. Alexandre says:

    Torço apaixonadamente pela Toyota desde 2013.

    Nesse fim de semana eu passei 23h e 56m com o alegre sentimento de “Agora vai !”.

    O “Agora vai !” tristemente se transformou em “Hoje não ! Hoje não ! Hoje simmm !”

  19. Wolfpack says:

    Aqui não, Le Mans é tradição, corrida conquistada por lendas que não é o caso da fabricante de Corollas. Porsche, só acaba quando termina. Engenharia alemã acima de tudo. Quando o 5 falhou a duas voltas do final foi muito divertido. O Toyota, porque seus métodos de engenharia tão propagandeados por ai não dão certo nas pistas kkkkkkkkkk.

    • Fern Kesnault says:

      Comentario tosco, infeliz e de uma pessoa amargurada…..é o que tenho a dizer!

      • Wolfpack says:

        Kkkkkkkkk porque o choro pela derrota dos japs, na verdade a equipe é inglesa. Toyota a 30 anos tendando e nada. Engenharia é com os teutônicos e ninguém mais. Ali não vale powerpoint, tem que correr e sobreviver as 24 horas. E por isso Porsche se tornou uma lenda. Para a Toyota é difícil, pois ser competitivo requer capacidades de construção e confisbilidade que eles demonstraram não ter para vencer Le Mans. E nunca terão.

    • Rodrigo Vilela da Silva says:

      Divertido é ler um comentário imbecil desses; a gente já sabe que o “autor” é digno de pena!

  20. Daniel Amorim says:

    Será que desaceleraram muito, como naquela corrida que o Mansel desacelerou na última volta e deu pau na eletrônica? Só um chute, chute mesmo…mas triste demais

  21. Ricardo Bifulco says:

    Concordo. Mesmo sendo fã das Panzer e dos Tanks, fiquei de coração partido. Não é a primeira vez que a Toyota perde para a Porsche no final da prova, mas hoje, faltando apenas uma volta? Isto é de doer..

    Abraços

    Ricardo Bifulco

  22. Fern Kesnault says:

    Sim, amigo….muita tristeza…havia apostado na Toyota pelo que fez em Spa….liderou sempre….parou menos vezes…..um castigo maldoso esse do destino…..fica so uma pergunta……isso foi devido ao ter diminuido o ritmo do motor??? Mas que dói,…..dói demais…

  23. Glauco Tavares says:

    Que desastre… A tristeza dos pilotos e da equipe é algo que dá apenas para imaginar. Nakagima ainda teve força para dar a última volta se arrastando para ao final ainda ser desclassificado por não ter completado a volta em menos de 6 minutos!!! É a regra, tudo bem, mas acabou indo contra o espírito de Le Mans… Quanta crueldade.

  24. Edison Guerra says:

    Triste ver a cara dos nipônicos idosos no boxe. Não choram, mas ficam “congelados”. Crueldade do destino.

  25. Sérgio Troncoso says:

    Ligado aqui também… Incrível! Carreras son carreras…
    Um abraço.

Leave a Reply to ALLAN PEREIRA GUIMARAES Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *