MENU

terça-feira, 31 de março de 2015 - 17:26Indy, IRL, ChampCar...

CAPACETE NELES

SÃO PAULO (muito sério) – Uma espectadora da corrida de São Petersburgo, domingo, foi atingida por um pedaço de fibra de carbono dos esquisitíssimos carros da Indy deste ano.

Não é brincadeira, não. Desse jeito, neguinho vai ter de assistir às provas de capacete na arquibancada.

6 comentários

  1. Mauricio disse:

    O que o capacete vai proteger se voar um pneu na arquibancada?

  2. Tuta disse:

    Em uma mensagem de texto enviada ao jornal de Tampa, o marido de Brigitte, Greg, afirmou que “é incrível que ela esteja viva”.

    “O que aconteceu foi uma loucura”, escreveu Greg. “Poderia ter sido muito ruim. É incrível que ela esteja viva”, ponderou.

  3. José Augusto disse:

    Esse carro da Indy que já era feio ficou pior ainda. Saudades da CART.

  4. Brabham-5 disse:

    Aí os fãs da Indy vem dizer que a F1 está decadente…

  5. Eltontoptec disse:

    Pois é amigo, esse tipo de ocorrência leva de volta a discussão sobre segurança no automobilismo, tanto para os pilotos, equipes e fiscais como também para a torcida. A ausência de morte de pilotos nos últimos 21 anos na F1 dão a falsa impressão que todos estão seguros, o que está longe de ser verdade, Jules Bianchi que o diga. E embora os carros estejam melhorando ano após ano nesse quesito, alguns autódromos, principalmente os clássicos ainda apresentam inadequações.

    Estava em Interlagos no final de dezembro passado acompanhando um amigo no tracking day e olhando por cima da mureta da reta dos boxes, diretamente para o lado oposto e constatando a fragilidade das cercas que separam a pista da arquibancada e imaginando o caos (tragédia) que um dia de azar numa possível largada problemática poderia causar. E não é só Interlagos. Mônaco, Monza, Ímola, Gilles, Nurburgring, Silverstone, Hermanos… …todos assassinos. Eu também não gosto dos tilkódromos, mas nesse aspecto, são melhores que os clássicos. Pelo menos nisso né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *