MENU

quinta-feira, 30 de março de 2006 - 19:55Enigmas & desafios, F-1

Avis raras

SÃO PAULO (sem blogueiro, não tem blog…) – Hoje tirei o dia para desovar algumas das contribuições de vocês que venho guardando há algumas semanas. O misterioso Filipe W enviou três fotos para vocês se divertirem.

A que gosto mais é a primeira, essa aí embaixo. Isso é jeito de fazer curva? É.

Os carros todos, diga-se, são lindos. Ponham a cachola para funcionar e identifiquem todo mundo! A Lotus vermelha, por exemplo…

…e por fim o Shadow que tem uma certa particularidade, que vocês hão se saber qual é.

54 comentários

  1. Gilberto Valezin disse:

    Dizem que o primeiro a fazer a 1/2 flat foi o Peterson

  2. jbchaves disse:

    Flávio,
    depois de ver as fotos e ler todos os comentários, deu vontade de chorar…
    pq em breve vou voltar a ver os robozinhos e suas “fantásticas” maquinas movidas a software e sem nenhum coração…QUÊ SAUDADE…

  3. João Valim disse:

    Felipe W, também mandei pra ele uns sons que achei…. vamos cobrar essas sinfonias no Blog!!! Abraço!

  4. Carlos Malfitani disse:

    Boa tarde Mr. Two Stroke Engine

    Os Tyrrell P34 de 1977, são de Depailler e Peterson, andando como Fangio e Ascari (segundo o anuário Automobile Year 1977-1978) essa foto é do GP Brasil no saudoso e espetacular antigo traçado de Interlagos, nessa corrida, Pace liderava com seu Brabham Alfa Romeo BT45, porém ele foi uma das vítimas do péssimo recapeamento do circuito, realizado antes do GP, escorregou na curva 3 na volta 6 quando liderava a corrida e foi atingido por James Hunt com seu M23. Ainda durante a corrida, muitos pilotos bateram na curva 3 devido a problemas no asfalto na curva em questâo, bateram nesta curva durante a corrida, Brambilla, Mass, Ragazzoni, Peterson, Depailler, Laffite, Watson, Binder e Pace. Foi a última corrida do Moco na frente de sua platéia. Pace correria somente mais dois GP’s após Interlagos, Africa do Sul e Long Beach antes do fátidico vôo junto ao seu grande amigo e também piloto, Marivaldo Fernandes.

    Quanto ao elegante Lotus MKIII mais conhecido como Lotus 78, com a pintura Imperial Internacional, vermelha e grená correu somente com essas corese pratrocínio no GP do Japão de 1977 realizado no Fuji Internacional Speedway, o mesmo que, remodelado tomará a honra de Suzuka em realizar o GP do Japão. A Imperial era uma marca de cigarro da mesma empresa que fabricava os conhecidos John Player Special, que decoravam os Lotus habitualmente, comercializada no Oriente. Na fotos podemos ver que O carro de Gunnar Nilson está nas cores da Imperial e o de Andretti nas da JPs, e assim eles correram, cada carro da mesma equipe com um patrocinador “diferente”, a March utilizava o mesmo expediente em sua equipe constantemente, e O Sr. Mosley proibiu o uso de cores diferentes no primeiro ano da BAR, em detrimento a uma padronização de cores dos carros das equipes, em tempo Mr. Mosley era um dos donos da March quando a mesma nos anos 70 corria com patrocínios diferentes em cada carro. Faça o que falo não faça o que digo ! Em tempo Nilsson abandonou o GP com seu lindo Lotus Vermelho e Grená por problemas no trambulador da transmissâo.

    A última foto é do Shadow DN5, testando o Motor Matra V12, ao volante J.P. Jarier, além do motor, esse carro possuia uma diferença óbivia em relação ao DN5 que utilizava o Motor Ford Cosworth, Mairo distância entre eixos. O motor nâo vingou e a Shadow, continuou a utilizar os Ford Cosworth DFV até o fim de sua incurssão na F-1.

    Grande Abraço a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>