Colírio na internet

C

Sobre o Autor

17 Comentários

  • Grande Flavio,
    Tive a oportunidade de ver alguns programas do Chip Foose nos States, o cara é rei por lá.
    Todo endinherado quer o desenho ou o carro do cara.
    Esse cidadão ai Mauricio Morais, pode ter certeza que é Chip do Brasil.
    Se começar a pintar carros fica igual.
    Parabens ao Mauricio Morais.
    o cara é bão.
    Wilson

    Ps. O Capa Mug, poderia ser de outras cores também.

  • Ainda bem que filmaram o “24 Horas de Le Mans”. Já se falou do “Grand Prix” aqui, mas o 24 Horas…
    Ao ARTISTA MAURÍCIO MORAIS -em maiúsculas mesmo- parabéns e admiração. A perpesquitiva daquela dianteira parece devoradora, a lá 917
    Aos admiradores do 917, parabéns pelo bom gosto.

  • Caro Veloz-HP obrigado pelos elogios. Pelo que tenho lido, seus comentários sobre o mundo das corridas são mt bem embasados com dados, etc. Me permita uma sugestão, acho que seria interessante vc criar um blog ou coisa parecida pra despejar todo este seu conhecimento. Vamos lá vc tem minha torcida. Um abraço.
    PS.: Já resolvi o problema da postagem de comentários no meu blog. Agora todo mundo pode comentar.

  • Entrei no Blogg, e não consegui cadastra os termos estão na lingua inglesa !! (e eu moro no Brasil!, os termos teriam que ser em portugues do Brasil!), Sobre a arte, simplesmente maravilhosa principalmente os efeitos no farol!!, parabens!

  • Como o site do cara exige cadastro pra comentar, vai aqui mesmo: você já pensou em mandar seus desenhos para a Discovery Channel ou para a produção do quadro Lata-Velha do programa do Luciano Huck? Seus trabalhos são fantásticos, você tem tanto ou mais talento que o Foose… Tá mais do que na hora de você se tornar um famoso designer de carangas… Se quiser desenhar um Maverick para mim prometo que monto com suas especificações quando chegar o momento, hehehe.

  • Me amarro em detalhes técnicos, um carro desses em 1971, com pilotos austriácos e traseira “long tail” estabeleceu o recorde de velocidade em Le Mans, algo acima de 400 km na longa reta. Há um vídeo no Google que dá idéia do comprimento da reta, algo como uns 15 segundos de pé embaixo. Olha, 18 cilindros…fico com os 16!!!

  • Esta encrenca tinha 18 canecos, portanto 1 motor e o,5 , e meteu medo até no grande Jo Siffert. O motor era muito pesado e o chassis torcia mais que banana flambada no conhaque. Por causa do peso exessivo é que surgiu a idéia de turbinar a usina. Vi exatamente este carro no museu ao lado do Nordschleife . Putz, que saudade !

  • Muito legal o desenho, ainda mais por ser em corel, o porsche 917 realmente é um dos carros mais lindos já construídos, o motorzão boxer 12 rugindo em Le mans era inigualável, e pensar que eles chegaram a fazer um de 16 cilindros para o CAN AM, que era obra do capeta em pessoa, mas infelizmente o projeto não foi para frente e eles colocaram o boxer 12 com 2 turbos, que é até hj o carro de corrida mais potente do mundo com 1200CV em configuração de corrida !!!

  • No ano passado o 917 com as cores da MArtini foi levado a leilão pela Bohamns (acho que é assim que escreve), mas retiraram porque não chegaram no lance mínimo, de US$ 3 milhões (juro que se ganhasse na megasena acumulada eu comprava). Tem uns caras na Austrália que fazem a réplica perfeita, com motor turbo 6 canecos do 996/997, por uns US$ 400 mil. Se você tiver grana, e contatos na Porsche, pode conseguir o mtoor do 962 e colocar na encrenca. Depois é só assitir ao filme do Steve Mcqueen e descer a bota.

Por

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

março 2006
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031