BRASA NA FEIRA

SÃO PAULO (mó orgulho…) – Feira Industrial de Hannover, que fique bem claro. Essa foto aí é de 23 de abril de 1978. Na Alemanha, o Brasil mostrava ao mundo seus carros a álcool, a alternativa encontrada para a crise do petróleo. A imagem pertence aos arquivos do governo alemão e foi enviada pelo André Scudeiro. Por onde será que anda essa Brasília?

brasanhannover

Subscribe
Notify of
guest
44 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Flavio Bragatto
Flavio Bragatto
12 anos atrás

Seja lá onde estiver, tomara que continue lá…

VW à Ar (à alcool) nunca foram muito bons mesmo!

A VW não teve sucesso com a idéia, porque era o carro errado para uma época errada onde não se imaginavam qualquer substituto para a gasolina e, efeito estufa era coisa de hippie cheio de LSD.

Se fosse hoje, olhariam com outros olhos, mas não acredito que absorveriam a ideia do etanol.

Bianchini
Bianchini
12 anos atrás

Um tio meu teve uma LS a álcool. O “problema” é que ele morava no meio da Serra da Cantareira (na epoca muito menos desmatada que hoje, portanto mais fria) ,entrava no trabalho no Centro às 8 da madruga e para sair de casa tinha uma subida com inclinação semelhante à Ladeira Porto Geral.
Solução empregada nas manhãs frias: ele levantava, ía na garagem, dava a partida na trapizonga, voltava, tomava banho, se vestia, tomava o café da manhã, e só então tinha certeza de conseguir enfrentar a subida, pois se o motor não estivesse quente não subia nem por decreto lei do finado Médici.

Antonio Valdoski
Antonio Valdoski
12 anos atrás

Realmente, o motor refrigerado a ar da Voks, movido a álcool, ia fazer um sucesso incrível no inverno alemão.
Aqui só esquentava depois de umas 5 horas rodando.

Breno Peixoto
Breno Peixoto
Reply to  Antonio Valdoski
12 anos atrás

Meu pai teve o primeiro fusca a álcool lançado no mercado. Era muito ruim pra pegar e esquentar. Era o preço do pioneirismo.

renato powell
12 anos atrás

eu tinha uma brasilia branca, à alcool, 1980. roubaram-na em 1991. deve ter virado ultraleve. ainda me lembro da placa. aliás, me lembro da placa de todos os carros que passaram pela minha família ou pelas minhas mãos. a placa dela era: XL-9265 – RJ – Rio de Janeiro – que ela descanse em paz. foi roubada junto com um gravador de rolo daqueles Akai, na porta do teatro tablado (estava emprestada com meu irmão). se alguém souber do paradeiro dela, por favor, avise…

:D

Dú
12 anos atrás

antonio stricagnolo filho
Falou tudo.
Aquela merda cinza, 4 portas e motor 1.300.
FG. Deu stalo.

Fábio Aguilera
Fábio Aguilera
12 anos atrás

Eu me faço a mesma pergunta desde 1991… qdo a Brasília do meu pai sumiu da garagem de casa… :-/
74/75, branca, linda. Estava com a gente praticamente desde zero km.

André Grigorevski
12 anos atrás

Gosto desse tipo de foto! Quando o comum era novidade.

A Brasília, coitada, já não deve existir faz tempo…

antonio stricagnolo filho
antonio stricagnolo filho
12 anos atrás

Incrivel,tiveram a cara de pau de mandar para a Alemanha essa porcaria que nunca funcionou direito,só queria ver os caras tentando ligar essa porcaria debaixo daquele inverno de trincar borracha.

André S.
André S.
Reply to  antonio stricagnolo filho
12 anos atrás

Os flex até hoje não evoluíram o suficiente, por ser em 78 é incrível!

Varlei
Varlei
12 anos atrás

Estas rodas eram usadas nas brasilias exportação para o mexico,pode ser uma delas,notem que tem encaixe para calotas,esta não passava no teste do bafometro.

Dado Miler
Dado Miler
12 anos atrás

Esqueci…Já é Etanol….

Dado Miler
Dado Miler
12 anos atrás

A demoninação “alcool etílico”esta correta…AEHC ( Alcool Etílico Hidratado Combistivel) e AEAC (Alcool etílico Anidro Combustivel)…Não parece as rodas do passat TS???Abs

Mirtes
Mirtes
12 anos atrás

Gomes, anteontem saiu aqui no rádio que a VW vai comprar a Karmann.

Baroni
Baroni
12 anos atrás

Interessante, nem anidro, nem hidratado é ETÍLICO MESMO! Só colocar limão, açucar e bater. rsrsrs.

Thiago Vinholes
12 anos atrás

Essa Brasília, assim como muitos outros carros, protótipos e raridades da Volks do Brasil, está guardada num galpão na fábrica Anchieta. Ouvi dizer que a maioria dos modelos estão parados a tanto tempo que a camada de poeira já chega a ser grossa. Também falam que pouquíssimos desses carros continuam funcionando. Uma pena, dava pra montar um museu enorme…

Carlos Zanettini
Carlos Zanettini
12 anos atrás

Eu sei com quem esta esta BRASA!!!!!!!!!!!!!!!!!,
Sabe da aqule amigo que vai levar a BRASA o caixão?,
Pois é dele esta brasa, logico desfarçada , mas esta com ele……………

Ademir
Ademir
Reply to  Carlos Zanettini
12 anos atrás

Ele nesta época ainda tinha cabelo!!!!

João Carrieri
João Carrieri
12 anos atrás

Cacildis!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Movido à Méééééé´!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Dú
12 anos atrás

Deve ter ficado por lá mesmo, menos trampo.
http://www.biavilela.com/vwsp2/index-deutsch.htm

Flavio Almeida
Flavio Almeida
12 anos atrás

FG, repare nas rodas dessa Brasilia, são um pouco diferentes das rodas que tinhamos aqui na mesma epoca, será que esse carro não foi um Corver…Alemão da nossa Brasa, claro que tinham alguma carroceria por lá ou mesmo um carro montado mas as rodas são diferentes isso são….

BET0
12 anos atrás

Foi pra garagem do Mussum…

Alexandre Zamariolli
Alexandre Zamariolli
12 anos atrás

Engraçado: a Brasa é “coisa nossa” (a placa sobre o capô diz claramente “VW do Brasil”), mas essas rodas eram do Fusca alemão.

Agnaldo Brazão
Agnaldo Brazão
12 anos atrás

Flávio, ela voltou ao Brasil ficando guardada numacervo do governo, sendo pintada de amarela. sim, aquela mesma dos mamonas.
?Hahhahaahhahhahahaha
Fui !!!!!!!!!

PS: Desculpe a babozeira ae.

Andre Decourt
Andre Decourt
12 anos atrás

Que roda é essa, colocaram uma rodinha com radiais para tapear com que tipo de pneumático o carro era vendido por aqui ???

Decio
Decio
12 anos atrás

mas a Brasa é 77 ….

PAULO
PAULO
12 anos atrás

ADOREI ESSA BRASA, PRINCIPALMENTE POR CAUSA DO ETÍLICO.
FG, P

Etel-Bauru-SP
Etel-Bauru-SP
12 anos atrás

FG, quer comprar um fusca alemão 1959? está fácil de restaurar, carro rodando! R$ 7.000,00.Um abraço Etel
etel.blanco@hotmail.com

Maurice Stambouli
Maurice Stambouli
12 anos atrás

Ô Gomes, Bom Dia. Tenho enviado algumas imagens, inclusive a respeito desta reportagem. Você as tem recebido?
Tem, pelo menos, como saber se vc as recebeu?

edilson vieira
edilson vieira
12 anos atrás

Detalhe do modelo da roda, que nunca foi utilizada na Brasilia brasileira (desculpa aí o cacófano) mas é a mesma do Fusca alemão. O que nos leva a conspirar que o veículo foi enviado desmontado do Brasil e remontado com algumas peças alemãs. Mas, se o carro era para uma feira em Hannover, por que “Alcool etílico” não está escrito na língua germânica? E, para concluir os delírios conspiratórios, dizem que os europeus na época, não se interessaram pela produão de motores a alcool porque isso iria afetar a indútria de bebidas e causar uma comoção social.

Marcos Reis
12 anos atrás

E o cara de óculos à direta olhando para o carro e se perguntando:
“E isso anda???”

Betão
Betão
12 anos atrás

Ué…que roda é essa? Parece de VW mexicano…

Etel-Bauru-SP
Etel-Bauru-SP
12 anos atrás

Oi Flávio Gomes! estava pensando aqui… … será que o Reginaldo Leme saiu do Grande Prêmio, porque vc falou umas verdades sobre a emissora oficial?rsrsr o negócio já estava meio “assim”, por causa do Máximo Bueno, e depois da sua última coluna desandou de vez? essa foi a impressão que ficou, ao menos pra mim rsrsrs fico triste porque admiro muito o R.Leme, porque a vida inteira ví ele discordar do GB no ar, ao vivo e deixar claro pra quem tem um pouco de inteligência de que o GB não entende de F1, rsrsrsrsrsrrsrsrsrrsrsrrsrssrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs mas, a-do-rei a coluna! Infelizmente tudo tem seu preço… um abraçoEtel

Venax
Venax
12 anos atrás

Se estiver no Brasil provavelmente já virou sucata ou o dono aproveitou quando fez o motor e passou para gasolina. Estes carros eram uma bomba, a tecnologia ainda era muito recente. Fazer funcionar em dias frios era quase impossível.

Andre Decourt
Andre Decourt
Reply to  Venax
12 anos atrás

O problema do carro eram os mexânicos mal equipados, ninguém tinha um equalizador para acertar a dupla. O carro com ignição eletrônica e bem regulado era muito melhor que as a gasolina

Gerson
12 anos atrás

O primeiro carro movido a álcool que vi foi um fusca branco 0km com inscriçao na porta “MOVIDO A ALCOOL” na calçada da concessionária com um monte de curioso em volta achando o carro muito normal. Lembro das pessoas comentando que o carro era igualzinho ao movido a gasolina, acho que as pessoas esperavam que o motor fosse algo futurista e inovador. Também me recordo que o primeiro carro a alcool que empurrei foi uma brasilia de um vizinho.

Danilo Bueno
Danilo Bueno
12 anos atrás

Curioso que ele tem as rodas do Fusca Alemão / Mexicano e a calotinha (copo) das nossas. Saudades da minha 80 LS Verde Pampa…..

Marcelo
Marcelo
12 anos atrás

Com certeza ela deve tá encostada em algum ferrovelho ou ferro-velho.

wellington
wellington
12 anos atrás

Bom início de vida pro álcool…uma pena que fiquemos nas mãos dos usineiros e do governo, que pintam e bordam com o valor do mesmo na hora que querem…e a Brasília? não estaria num museu da petrobras ou algo assim? abraços

Antonio Carlos
Antonio Carlos
Reply to  wellington
12 anos atrás

Pasmem, o alcool em Brasilia está R$1,99

Marcio
Marcio
12 anos atrás

O motor e carburação provavelmente corroída pelo Alcool. :-)

Thiago Marinho
Thiago Marinho
12 anos atrás

O que o Nuzman está fazendo ali conversando com o cara de braços cruzados ?

Roberto Ellery
12 anos atrás

Se alguém te falar onde ta essa brasilia, tu vai acabar indo lá e comprando!! uhaauhauhauhau

Pablo Neves
Pablo Neves
12 anos atrás

Ou esta num museu da Alemanha ou voltou ao Brasil para morar num ferro velho