EM DEFESA DE BARRICHELLO

rbblogSÃO PAULO (e chega) – De todas as pessoas que encontrei hoje, ouvi: “Esse Rubinho é um cagado, mesmo”, “Puta azar deu o Rubinho”, “Esse Rubinho é muito ruim”, “O cara é muito azarado, tinha de furar um pneu?”, “Esse cara é muito ruim, não vai ser campeão nunca”, “Quando a gente mais espera dele, faz isso”.

E algumas variáveis sobre o mesmo tema.

Eu já tinha dessa impressão, mas depois deste fim de semana, tenho certeza. O problema de Barrichello não é ele, não são seus carros, não são seus companheiros de equipe. O problema de Barrichello é a TV Globo.

E por que a Globo, e não toda a mídia? Porque não se deve ter nenhuma ilusão. A imensa maioria das pessoas no Brasil só se informa sobre F-1 pela Globo. “Se informa” é um eufemismo, melhor corrigir. Digamos que a cultura de F-1 que a imensa maioria das pessoas tem no Brasil vem daquilo que a Globo diz.

E a Globo só diz besteira. A cultura de F-1 do brasileiro médio é zero, talhada pelas cascatas globais.

Barrichello não fez nada de errado ontem, não errou ao tentar a pole com o carro mais leve, não teve azar nenhum, não foi cagado. Mas a histeria global, martelada dia após dia — e quando a corrida é no Brasil, e ele está na pole, chega a ser quase uma lavagem cerebral, uma lobotomia —, faz com que o público aqui acredite que Rubinho do Brasil tem a obrigação de ganhar, e se não ganhar, das duas uma: ou sacanearam com ele, ou é um cagado que não tem mais jeito.

As pessoas veem uma corrida de F-1 aqui com zero de informação honesta. Ontem, depois de dez voltas já era possível afirmar que Rubens não venceria a prova. Simples: não abria de Webber e iria parar cinco voltas antes nos boxes. Cinco voltas, com um carro mais rápido e cada vez mais leve, seriam mais do que suficientes para Webber voltar à sua frente do pit stop. E Kubica, também. Ambos passaram.

Rubens apostou no clima instável de São Paulo, no que fez muito bem. Larga na pole, pula na frente, vai que chove no início, todos têm de parar, a vantagem do carro mais pesado é anulada. Ou, ainda: acontece alguma merda atrás dele, Webber se enrosca, Kubica bate, fica para trás, e a vantagem é igualmente anulada.

Mas há uma desonestidade editorial clara naquilo que a Globo faz, alimentando uma expectativa que não poderá ser cumprida. Porque corrida de carro é muito mais do que essa gritaria de “Vâmo, Rubinho!”, “Não erra agora, Rubinho!”, “Acelera, Rubinho!”. Corrida de carro tem lógica, é matemática, e quem mostra um evento desses a milhões de pessoas tem a obrigação de ser honesto.

Porque se não for, as pessoas não têm elementos para entender a derrota. E se amparam na explicação que está à mão: o cara é cagado, dá azar, não vai ganhar nunca. Ou, ainda: furaram o pneu dele de propósito.

E, aí, vai-se criando a fama, dia após dia, de perdedor, azarado, cagado. Uma farsa, uma mentira. A TV mente o tempo todo. Foi assim nos anos pós-Senna, em que Barrichello, de Jordan ou Stewart, não tinha a menor chance de ganhar uma corrida, embora a TV dissesse o contrário. Porque corria contra Williams, Ferrari, McLaren, Benetton. Depois, na Ferrari, a venda de ilusões baratas era igualmente cruel, porque contra um piloto como Schumacher, Barrichello jamais seria campeão. Não seria porque Schumacher era muito melhor. Se eu for companheiro de Barrichello numa corrida de qualquer coisa, não terei chance alguma de andar na frente dele. Deem um kart para ele e outro para mim, e ele vai chegar na frente todas as vezes. Entreguem um Lada igualzinho ao meu, e não vou ser mais rápido que ele nunca, em nenhuma volta.

Mas a Globo vende a esperança, porque acha que as pessoas só vão se interessar por seu evento se houver a chance de um brasileiro vencer, mesmo se for uma mentira deslavada, como na maioria das vezes. É um engodo, e uma sacanagem com o piloto. A expectativa que se cria por seus resultados é criada na TV. OK, muitas vezes Rubens embarcou na onda, mas é o menor dos culpados.

Se a TV não se dedicasse tanto a iludir seus telespectadores tratados como otários, Barrichello não seria zoado como é há anos, pela Globo inclusive. Poderia conduzir sua carreira com mais tranquilidade e serenidade. Ele não tem a obrigação de vencer por ninguém, pelo povo, pelo país. Tem obrigação de trabalhar direito para quem lhe paga, e por ele mesmo.

Um dia depois de uma corrida normal, na qual fez o que podia fazer dentro dos limites de seu carro e de seu talento, o coitado tem de aguentar um tijolo a mais nessa construção de uma imagem que não corresponde à realidade. Barrichello pode não ser o melhor piloto do mundo, está longe disso, mas é um dos bons dos últimos anos, como outros tantos. Nem muito mais, nem muito menos. Não estaria há tanto tempo correndo se não tivesse qualidades.

Quando parar, muito provavelmente sem ter sido campeão, terá para sempre colado na testa o rótulo de cagado, azarado, lento, o que for. Pode agradecer à TV por isso. Foi ela que, nesses anos todos, disse ao Brasil que Rubens era algo que nunca foi. Talvez ele nunca entenda isso, até porque adora ser bajulado pela Globo, com seu pseudo-jornalismo esportivo meloso, ufanista e cascateiro. Mas é assim.

Subscribe
Notify of
guest
2.4K Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Felipe Cunha
Felipe Cunha
10 anos atrás

Concordo plenamente com o Flávio. Após a morte do Senna, começou as especulações, que Barrichello seria o seu substituto. Temos que diferenciar “rubinho é um piloto médio”,e, de um médio não se pode esperar milagres.

Giovani Gomes Costa
Giovani Gomes Costa
11 anos atrás

Parabens rubinho pelo ano de 2010. Voce mostrou que se seu carro fosse equipado com motor de qualquer das grandes, estaria lutando por vitórias. Te conheci no guarujá no reveillon de 93, quando seu carro patrocinado pela arisco estava exposto naquele supermercado. Ali conheci uma pessoa de bem: Rubinho Barrichello.

Thiago
Thiago
11 anos atrás

Concordo plenamente com o Marcio. Rubinho sempre foi um covarde.
Se um dia a Mclaren pedisse ao Sena p Prost passar, ou vice-versa. Ambos prefeririam morrer. Foram campeos jogando o carro um em cima do outro, um coisa normal. Como Shumacher tb fez. Senna morreu de pé, enquanto Rubinho vive de joelhos.

marcio
marcio
11 anos atrás

Quanto merda vc dizem.
Quando o Rubinho freia e deixar o Shumacher passar, quando ele andava em segundo e não atacava o alemão na primeira colocação, quando ele abaixava sua cabeça p] a equipe, ele estava apenas garantindo o seu emprego.
Ou seja, existem pessoas que trabalham por dinheiro, como o caso do Rubinho, o país, a nação que ele representa, está em segundo plano. Essa falta de um ideal maior, de um sangue correndo nas veias, não é digno de respeito. Rubinho p/ mim não é nada além de um COVARDE.

Ariel
Ariel
12 anos atrás

Sei que o comentário está bem atrasado mas não posso deixar passar.

A comparação de Flavio Gomes no Kart contra Rubens é a mesma coisa de Rubens no F1 contra Schumacher é no mínimo uma comparação infame.

É claro que o Alemão foi melhor mas, em muitas vezes Rubens superou o shumy e foi impedido pela Ferrari de conseguir muitas vitórias e no mínimo um título mundial.

Na minha opinião Schumacher tem o mérito de três títulos mundiais pq o restante foi com a ajuda de Rubens e outras atitudes anti-esportivas jogando o carro para cima de outros pilotos durante a decisão do título.

Victor Costa
Victor Costa
Reply to  Ariel
12 anos atrás

Concordo com voce Ariel, nos pontos em que lembra a forma como foram ganhos os titulos do Schumacher. E tambem concordo que o Rubinho merecia algumas vitorias que ele teve que ceder pro Schumacher, mas daih a achar que ele superaria o Schumacher, acho pouco provavel infelizmente. Pois sempre torci muito pro Rubinho.

Flavio, voce tem um Lada? Niva? vende por quanto? ahahahahahahaha

MAL-HUMORADO
MAL-HUMORADO
12 anos atrás

Valeu, Flavio!!! Há anos esperava por um artigo desse.

bruno
bruno
12 anos atrás

Não se esqueçam da velha mania brasileira de rebaixar o nosso e enaltecer o dos outros países. Conheci inúmeras pessoas torcendo contra o brasil na última copa. Pq? Acho q é para não se decepcionarem em caso de perda… O rubinho é a mesma coisa, mas aí vem TV (concordo contigo flávio) e exagera nas chances de vitória, tanto que o povo acredita fielmente sem ser criterioso. depois da derrota ficam com raiva do piloto… Será que todo piloto é campeão ou é um lixo? O massa é outro que sofre com a síndrome pós-senna. Mesmo após ter pilotado muito em 2008 (só não ganhou o campeonato nós sabemos pq), os brasileiros que deveriam estar torcendo para ele, só dizem que ele é ruim e que já sabiam que ia perder… Cadê o orgulho brasileiro que tanto cantamos nas musiquinhas???

Orlando Salomone
12 anos atrás

Flávio, concordo com você em toda a linha. Rubens é um grande profissional, e em qualquer país mental e socialmente desenvolvido, seria considerado um herói nacional. Aqui, infelizmente, todo mundo exige respeito, mas não é capaz da contrapartida. Lamentável.

Rodrigo Carvalho
Rodrigo Carvalho
12 anos atrás

oncordo com quase tudo prezado Flávio. Acho o Schumi realmente melhor que o Rubinho, mais determinado e marketeiro do que necessariamente piloto, mas melhor. Bom! Mas ele (primeiro) nunca vai poder falar que teve tratamento igual ao parceiro, nunca!!! Aí você tira um ou dois títulos devido ao favorecimento da equipe (não que Rubens fosse ganhá-los, mas seria um a menos trabalhando pro alemão), um outro que ele jogou o carro no Hill, já são menos dois ou três e acaba a principal coisa que mantém ele no topo: os números.

Rodrigo Carvalho
Rodrigo Carvalho
12 anos atrás

Concordo com quase tudo prezado Flávio. Acho o Schumi realmente melhor que o Rubinho, mais determinado e marketeiro do que necessariamente piloto, mas melhor. Bom! Mas ele (primeiro) nunca vai poder falar que teve tratamento igual ao parceiro, nunca!!! Aí você um título de favorecimento da equipe, um outro que ele jogou o carro no Hill, já são menos dois e acaba a principal coisa que mantém ele no topo: os números.

1 42 43 44