MENU

quinta-feira, 8 de outubro de 2009 - 6:06Colunas Apex

GERAÇÃO 2010

SALZBURG (acabando) – Andre Jung, nosso batera-colunista, faz uma interessante análise sobre as mudanças de regra para 2010 na F-1 no seu texto desta semana. Vem aí uma nova geração de carros, segundo ele, e a atual durou apenas uma temporada. Como sempre, texto preciso. Leia lá e comente aqui!

10 comentários

  1. Paulo Franco disse:

    Cheguei de viagem ontem e dando uma olhada nos post, achei o seu.
    Não concordo com o que vc disse sobre a segurança de Suzuka e as motos, André.
    Suzuka não tem segurança para corridas de MotoGp ou Superbike tambem!
    Embora seja um MARAVILHOSO traçado.
    Um pouco depois do local onde bateu Alguesuari, morreu o ídolo japonês Daijiro Kato correndo com uma Honda na cat. MotoGp.
    Bateu com o tórax e cabeça em um dos pequenos muros à beira da pista e faleceu poucas horas depois.
    Foi uma comoção nacional no Japão, aonde o numeral 74 até hoje é reverenciado.
    A maneira mais correta de projetar circuitos é projetá-los para corridas de moto.
    Não podem haver muros próximos à pista, as áreas de escape devem ser largas e espaçosas e, preferencialmente gramadas. Mas este último ítem não é obrigatório.
    Quanto ao desenho da pista, deve-se buscar traçados fluídos, como a antiga Assen que sempre trouxe maravilhosos pegas.
    Ou seja, fica servindo para qualquer categoria de esporte a motor sobre rodas.
    De resto, o Paulo Horácio from Voluntários da Pátria que está por aqui, te manda um abraço!

  2. J. N. Dias disse:

    Sem reabastecimento, acabam-se as estratégias de pit-stop. Eu acho que isso vai fazer as equipes gastarem mais em vez de economizarem. Por que a FIA não limita, simplesmente, a potência e as rotações do motor, deixando todo o resto liberado? Garanto que seriam corridas mais emocionantes com o motor com 600 cv a 15.000 RPM, deixando os detalhes fazerem a diferença entre a vitória e a derrota.
    Ao fazerem tal mudança, isso significa que os carros de 2009 não poderão mais ser aproveitados, pois eles foram desenhados para um tanque menor. E tome mais gastos, pra fazer um carro com um tanque maior sem estragar a aerodinâmica.

  3. preto disse:

    Não sei, o que deve ser feito, para as ultrapassagens voltarem,mas,por mais que se goste de f 1,tá ficando ,insuportavelmente chato de se assistir(o audio a gente pega da BAND NEWS FM apesar do delay)Revendo algumas temporadas passadas da f 1,(2003,2004,2005)e que são recentes,pilotos largando lá do fundão e ganhando corridas,como a do Kimi em Suzuka 2005,Rubinho,2003 em Silverstone vencendo ,depois de várias ultrapassagens,enfim ,o que fazer ? Será que esse congelamento dos motores não é o grande responsável,pela igualdade/chatice ?

  4. A coluna do Jung tá ficando monótona. É SEMPRE muito boa.

  5. Gabriel Souza disse:

    Muito boa a coluna deta semana. Concordo com o Andre até o ponto em que ele critica a pista de Suzuka. Não acho que o padrão de segurança dela esteja em desacordo com a performance de um F1.

    Acho que a performance de alguns pilotos da atualidade está em desacordo com a exigência que a pista de Suzuka solicita.

    Abraço!

  6. sandro karam disse:

    Bruno Senna tomou 1s hj de manhã do companheiro da isport! espero que o interessados no seu trabalho não levem em consideração o resultado desse teste.

  7. Rafael Bilibio disse:

    Apenas acho que o KERS não poderia ser opcional. Ou deveria ser proibido, ou deveria ser obrigatório.

  8. Há tempos acompanho a coluna Apex, que se tornou pit stop obrigatório dentre os meus colunistas preferidos. Pode-se até discordar, mas não me recordo de ler algum comentário sem embasamento, simplesmente jogado e marcado por “achismo”.

    André é racional e demonstra foco e clareza na escrita, qualidade que aprecio cada vez mais nesse mundo dinâmico da internet. Fica registrada aqui, portanto, a minha reverência ao músico – já formalizada diretamente ao próprio em outra situação.

    FG, um abraço e obrigado por manter o blog e o Grande Premio em plena atividade!

    Sugestão: não sei se seria para o seu blog, talvez para o Grande Premio ou para a ESPN, mas existe um mundo cada vez mais importante e crescendo a pleno vapor, que é o do Automobilismo Virtual – que envolve não apenas “pilotos” comuns, mas também pilotos da vida real, caso da minha equipe que conta com a presença do Andre Bragantini. Caso se interesse pelo tema, estou à disposição para trocarmos figurinha.

  9. Júlio disse:

    Não concordo com o que o André comentou sobre as áreas de escape de Suzuka. Sou mais da opinião do Kimi, de que Suzuka não permite erros, por não ter aquelas enooooooooormes áreas de escape dos circuitos tilkeanos.

    Apesar dos inúmeros acidentes ocorridos no fim de semana, nenhum deles foi grave, apesar da velocidade…

  10. Érico disse:

    Ótimo como sempre, apenas discordo do que Jung disse em relação aos quesitos de segurança de Suzuka. Ter estacionamentos de hiper-mercados ao lado das pistas nos fez esquecer como a pilotagem dum carro de F1 deve ser precisa e rápida.

    Então faço minhas as palavras do Raikkonen:

    “I think it is a dangerous sport,” he said. “This is more a kind of old-style circuit. The new circuits have a lot of run-off with asphalt, so it makes no difference if you make a mistake, you can usually get back on the circuit.

    “Here, if you make a mistake you are usually going to hit the wall and I think that is how it should be. You get punished for the mistakes and it makes it more exciting – you need to be more precise.”

    http://www.autosport.com/features/article.php/id/2418

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *