MENU

Saturday, 14 de March de 2015 - 5:16F-1

BUMERANGUES (3)

booooo3SÃO PAULO (vai ser osso) – É triste, muito triste, quando um campeonato de Fórmula 1 começa decidido. O formato atual da categoria não permite que alguém tire um segundo e meio de outro. Não há desenvolvimento possível. Esqueçam. Será um ano para ver Hamilton x Rosberg de novo, com nítida vantagem para o primeiro — ganhou no ano passado, está com moral e, sobretudo, é melhor.

(Aqui, um parêntese para contar uma historinha. Em 2004, começo do ano, fui convidado pelo Reginaldo Leme para participar do extinto “Linha de Chegada”. Foi logo depois do GP da Austrália. No debate com os colegas de mesa, me perguntaram quem era o favorito ao título. Schumacher já é o campeão, respondi. Mas, Flavinho, ninguém pode reagir? As coisas na F-1 mudam rápido, alguém argumentou. Não, disse eu. Schumacher já é o campeão. No primeiro treino livre de sexta em Melbourne já era possível afirmar: Schumacher fecha essa parada na metade do ano. Alguns ficaram indignados. Como assim? Acabar com o campeonato antes de começar? Achei, até, que a indignação tinha a ver com aquele negócio de manter as expectativas altas, produto da casa e tal. Posso estar sendo maldoso. Mas tive essa impressão. Agora, alguém poderá dizer que dou um tiro no pé ao afirmar que o campeonato já acabou. Afinal, temos um site, e ele precisa de audiência. Bobagem. Quem gosta, vai ver mesmo assim. E mentira não é comigo.)

Lewis fez a pole em Melbourne agora há pouco. Foi a 39ª de sua carreira. Com uma facilidade irritante. Foi o melhor no Q1. No Q2, também. No Q3, a trolha foi de 0s594 em Rosberguinho. E de 1s391 no terceiro colocado, o “pole dos outros”, Felipe Massa — aplausos para o brasileiro da Williams, que fez uma excelente volta para conseguir seu tempo depois de errar na primeira tentativa.

3primeiros aus15Tempo do mercêdico: 1min26s327. Demais, não? Não. Uma bosta. O recorde da pista é de Vettel, 1min23s529 em 2011. São 3s de diferença. Os caras gastam os tubos, inventam baboseira em cima de baboseira — a maior delas debaixo do capô, essas patéticas unidades de força que só quebram e atrapalham a pilotagem –, e os carros de 2015 são 3s mais lentos que os de 2011. Parabéns aos envolvidos, como diz Rodrigo Mattar.

A classificação para o GP da Austrália, nesta F-1 da Depressão (alguém viu alguém sorrindo nos boxes?), começou com 18 gatos-pingados na pista, já que a Manor Marussia não conseguiu ligar seus carros. A equipe, oficialmente, continua se chamando Marussia, apenas, porque entre outras bobagens da F-1 está a estupidez de um time não poder mudar de nome de um ano para o outro, sob pena de perder suas premiações em dinheiro (o que fez a Sauber correr como BMW Sauber em 2010 usando motores Ferrari, algo inacreditável).

Por que esses caras foram até a Austrália, coitados? Gente, eles sequer conseguiram dar a partida nos motores! Parece que o problema são programas de computador que foram apagados na mudança de dono e de fábrica. Sem eles, motor não liga. Tudo tem de ser programado de novo. Como é que uma categoria convive com uma insanidade dessas? Porra, num carro normal você joga gasolina no carburador que a merda pega! Que diabos são esses carros, que só funcionam com softwares complicadíssimos instalados em supercomputadores? São carros? Não, são uma derrota.

Bem, entre os 18 gatos-pingados estava a McLaren, se arrastando sem patrocinadores, fazendo tempos dignos de GP2. O Q1 eliminou apenas três carros, porque os dois da Marussia, de uma forma ou de outra, estavam inscritos. Se alguém achar as chaves desses carros, quem sabe eles largam amanhã… E, como era previsível, dois dos degolados eram do time de Ron Dennis. Button virou 1min31s422. Magnussen, 1min32s037. Quase 9s pior que o recorde de 2011. Qual motivação tem um piloto, um campeão do mundo como Button, para sentar num automóvel e virar 9s mais lento do que quatro anos antes?

O outro limado no Q1 foi Sonyericsson, da Sauber. “Lá vem o Marcus!”, ficou gritando um mecânico pendurado na mureta, “descendo a reta pra ser degolado!”. É bem ruinzinho, esse moço.

Destaques no Q1? Bom, sempre tem. Verstappinho em quarto foi bem. E um pequeno susto para Nasr, 15º colocado, na rabeira da rabeira. No mais, tudo normal, inclusive a última fila da McLaren que inicia sua nova aventura com a Honda de um jeito mais do que preocupante. Sim, porque é a pior performance da história da equipe, que tem quase 50 anos. Duro golpe, tristeza geral.

jbaus15

(Na Espanha, Alonso viu tudo pela TV. E traçou uma estratégia. Quando a empregada lhe trouxe o café da manhã, agradeceu em italiano e disse a ela que , quando crescesse, queria ser piloto de carros que nem aqueles caras da TV. Depois olhou para a namorada e perguntou quem era ela. A governanta estranhou aquele comportamento e telefonou para os pais de Fernandinho. Que chamaram imediatamente seus médicos. Neste exato instante, Alonso está dizendo a eles que se chama Pablo do Arrocha, que tem show amanhã em Itabuna e que precisa ensaiar sua sofrência. Os médicos, diante de tal quadro, vão informar à McLaren que ele está meio atrapalhado das ideias e que só poderá voltar a correr, se voltar, depois de julho.)

No Q2, Comandante Amilton mostrou que não estava para brincadeira e entrou na casa do 1min26s. Os eliminados foram Nasr, com um aceitável 11º lugar (a Sauber trapaceou na pré-temporada andando em segundo e terceiro o tempo todo, mas faz parte, só se engana quem quiser), Verstappinho, K-Vyado, Hulk e Maria do Bairro. O jovem Max, que tinha andado tão bem no Q1, acabou sendo ofuscado por Carlinhos Sainz Idade Para Andar Com Adultos, oitavo colocado.

No Q3, pela primeira vez notei a telinha no cockpit da Williams, que parece aquele GPS que a molecada compra no xingue-lingue (onde a Marussia deveria ter procurado seus programas de computador). As informações saíram do painel que ficava no volante. Interessante. E irrelevante. Hamilton virou 1min26s419 e poderia ir embora soltar bumerangues, se quisesse, porque Rosberguinho, depois de errar na primeira tentativa, fez apenas 1min26s921 na segunda. Mas o inglês foi para a pista de novo e baixou ainda mais seu tempo.

Massacrado em terceiro, Tião Italiano em quarto, Tagarela Raikkonen em quinto, Sapattos em sexto, Ricardão em sétimo, Sainz Idade em oitavo, Grojã em nono e Maldanado em décimo. Aí estão os primeiros colocados desse grid magérrimo que abre na madrugada de amanhã, às 2h, o Mundial de 2015.

Não será uma boa corrida, infelizmente. Não será um bom campeonato, infelizmente.

Mas vamos ver tudo mesmo assim.

149 comentários

  1. Paulo Barros says:

    Uma equipe inteira não conseguir ligar seus motores é um claro sinal que isso tudo virou uma merda imprestável, que está a caminho do fim.
    Mudem isso, internem o Bernie num hospício-asilo (ou vice versa), mas pelo amor de Deus, alguém faça o favor de transformar isso em automobilismo outra vez!!!
    Socorro!!!

  2. Fernando says:

    Concordo, só que não porque sempre foi assim, alguns anos (e/ou década) ótimos e com regulamentos legais, outros ruins (e/ou década) com regulamentos terríveis, nada de novo. As unidades de força são praticamente as mesmas do ano passado, e o campeonato de 2014 foi até razoável nada parecido com o que vimos hoje aconteceu. O acaso (e o descaso de sempre – leia-se Bernie) fez esta corrida ser uma das mais chatas da história. É saudosismo sim, porque sempre foi assim, altos e baixos. Infelizmente vejo pouco futuro para o automobilismo, e isso começa aparecer na categoria mais importante, tem lógica. E parabéns por conseguir definir o indefinível ao falar da “pré corrida” que a Globo fez com retardados para retardados, eu mal consigo me lembrar que assisti aquilo.

  3. Ritchie Cock says:

    Só impressão, FG? Eu tenho certeza que lá no Linha de Chegada (foi limado da programação este ano?) os caras devem ter ficado p da vida com vc por ter falado a VERDADE. No Sistema Globo de TV, jamais se pode depreciar um evento transmitido por ela, mesmo algo ultrainsignificante como “Jogos Mundiais de Verão” (inventados por ela mesma). A Globo e suas subsidiárias que rezam a mesma cartilha sempre fazem oba-oba para levantar audiência para seus eventos, apelando para o nacionalismo pachequista barato, tratando o telespectador como um retardado. É por isso que o futebol brasileiro está essa maravilha, sucesso de público e crítica, e a F-1 está bombando em audiência!
    Na corrida de hoje, convidados nada a ver como Marcelo Anthony (oh, ele foi piloto de Stock numa novela!), Giba (do vôlei, tudo a ver) e um atorzinho que nunca vi mais gordo, além de Raul Boesel atacando de DJ. Alguém acredita que isso iria atrair audiência? Quem fica acordado até essas horas pra ver uma corrida é porque é fanático mesmo e não está nem aí pra convidados não relacionados ao tema F-1.

  4. Cristiano Dorne says:

    Alonso já era, ele não tem sorte. Fórmula 1 tem que ser bom e ter sorte, o schumacher era assim. O único que era bom e não tinha sorte e foi tri foi o senna.

  5. Mano 147C says:

    Boa Noite a todos.

    Está claro que as Mercedes vão voar ainda mais alto nesta temporada … Meu palpite é Lewis Hamilton tricampeão, por que é melhor que o alemão Rosberg. Simples assim.

    Acho que a comparação não é a melhor … os carros de 2011 usavam o difusor “soprado”, aquele que se utilizava dos gases expelidos pelo motor para gerar ganho aerodinâmico … recurso este devidamente anulado já algum tempo … fazia sim uma grande diferença na performance dos carros. A aerodinâmica destes carros de 2014/2015 também foi reduzida em torno de 15% em comparação aos anos anteriores … isto também conta ! Logo, estas alterações colaboram com tempos mais altos …

    Quanto as unidades de força, vejo as tecnologias híbridas como um caminho sem volta … Acho bacana a ideia … mesmo complexas. Poderiam ser mais baratas e ter um ronco muito melhor … mas na atual configuração será difícil escutar algo melhor …

    Abraço

  6. CART says:

    Espetacular o post, Flavio, to rindo até agora das tiradas. Só li verdades.
    O assunto é F1, mas a CART dos anos 90 (e atualmente a NASCAR) eram (ou são) bem mais competitivos e imprevisíveis. Tenho saudades da CART.

  7. Cristiano says:

    Eu não vou, não, Flávio. Me enchi, como me enchi do futebol brasileiro.
    A audiência abaixando — leia-se: o dinheiro indo para o ralo –, quem sabe volta o mata-mata e à F1 a competitividade.

  8. Luiz says:

    Genial, se foi proposital. A saída de Alonso dessa fria, foi magistral, foi só dar uma de louco…
    E deixou muita gente preocupada. Mas não foi original, porque foi a mesma saída que Vitus, no filme de nome homônimo, vislumbrou. Era uma criança gênio que para ter liberdade, simulou um acidente em que batera a cabeça e como consequência, seu QI baixou de 180 para 110, regrediu! A família foi tapeada o tempo todo, até nos testes de QI, e perdendo de propósito no xadrez para seu avô. É Alonso, eu não te condeno, mas que não foi original, não foi.

  9. Fernando Pessoinha says:

    O escriba deste blog escreveu tudo aquilo que penso sobre a F1 atual e não repetirei a lenga-lenga. E percebo o desânimo do escriba deste blog com uma categoria que já foi, em passado recente, muito, mas muito melhor. Max Verstappen em quarto no Q1. Fantástico, né? Não. Dá vontade de chorar. Verstappinho é filho de Jos Verstappen, um dos maiores barbeiros que a F1 já viu. Pior, só Andrea de Cesaris. E como a fruta não cai longe do pé, Verstappinho não é um virtuose, como se suporia ao analisar essa performance toda, para uma estreia, tendo a idade que tem. Pilota, o batavinho, uma Toro Rosso, um bom carro, mas um carro mediano. E o cara anda lá na frente, logo de cara. Não tenho nada contra a família Verstappen, mas sim contra essa F1 de hoje. Isso não é F1. Sequer anda como F1. Não faz barulho como F1. Não se permitem desenvolvimentos técnicos nos carros como na F1. Há toda a sorte de viadagens tecnológicas que não pertencem à F1. E não tem pilotos de F1. Max Verstappen NÃO é piloto de F1. Quando muito de GP3. Carlos Sainz bisneto ou tataraneto, sei lá, também não. Vou ser apocalíptico, aqui: ou a F1 muda de verdade ( foda-se se gastaram 80 caminhões de Euros nisso aí ) ou vai minguar, minguar, minguar… Até acabar. Nem o Flavio Gomes vai acompanhar mais. Talvez passe a falar e escrever somente de carros antigos, tomates hidropônicos e vinhos Tannat uruguaios. E faria muito bem, diga-se.

  10. giovanni says:

    A globo vai largar a F1 na tv aberta rapidinho. Isso se a F1 não afundar antes. Só eu e mais meia dúzia de insanos mesmo pra continuar acompanhando hehehe

  11. Paulo Pinto says:

    Esse muro foi resgate cármico. O espanhol está pagando o que fez com o Nelsinho.

  12. Brabham-5 says:

    Eu acho que estão já descartando a McLaren cedo demais. Não se esqueçam que ali tem a união de uma equipe de ponta com uma fornecedora de motores campeã, a Honda. Melhor aguardar antes de jogar a pá de cal.

    Dizíamos o mesmo da Ferrari ao final do ano passado, e hoje estão superando as expectativas. Muito melhor e mais promissor que no ano passado.

    No fim do campeonato passado, quem dizíamos que tinha feito uma troca infeliz era o Vettel, não o Alonso.

    Não duvido da competência de campeões. Tanto Ferrari quanto McLaren vão se acertar durante o ano. Talvez não dê tempo para disputar o título, mas Vettel e Alonso vão se ajeitar em suas novas equipes. Podem esperar.

  13. Paulode says:

    Concordo com uma coisa: quem gosta de f1 vai assistir a temporada, continuar a acordar cedo ou permanecer em vigília para ver os gps.

    Fica o pensamento: no futebol quando o jogo é ruim o locutor não alivia e fala, assim como os comentaristas, o repórter de campo e o apresentador do jornal de esporte do meio-dia. Ficamos na fila entre 70 e 94 e isto não abalou a paixão pela bola. Esta é a questão. A paixão pelo esporte.

    Por que não fazer o mesmo com a f1? Falar a real, meter o pau quando tiver que meter. Sinceridade, falar o que está aparecendo na tela, só isto. Talvez o tiro no pé seja dourar a pílula e aí sim o espectador acaba se sentindo traído pela “propaganda enganosa”…

    F1 é um tesão, a categoria máxima do automobilismo, o topo, aonde todos que participam do esporte a motor sonham estar um dia, nem que seja na arquibancada. Passa por uma fase ruim, de adaptação aos novos tempos. Não dá para voltar aos motores tais como eram nos anos 80 e 70, é preciso pensar em máximo aproveitamento de combustível, com alto rendimento. Fato. Falavam horrores da suspensão eletrônica da Williams e depois as ruas tiveram carros com esta inovação. Nada de novo, portanto.

    Mas que um ronco de motor tem que existir, ah isto tem…

    Embora no futuro com os carros elétricos é provável que as novas gerações vão dizer “que coisa de bárbaros e antiquada estes motores a combustão, barulhentos…”rsrsrsrs.

    “No meu tempo…” O tempo é agora. A temporada vai começar, com todos os defeitos que todo mundo sabe, E daí? Reclamamos porque gostamos de f1 e todo mundo tem um palpite sobre o que fazer para deixar mais legal a disputa na pista e o espetáculo melhor. E sim, é preciso deixar a arrogância de lado e consertar o que não está dando certo, uncle Bernie.

    Fangio, Graham Hill, Ronnie Peterson, Jackie Stewart, Emmo, Lauda, Hunt, Gilles Villeneuve, Piquet, Keke Rosberg, Prost, Senna, Schumacher…
    E Vettel, Hamilton, Alonso… Não acho tão ruim assim.

    Acho que é pouco provável que alguém vai lembrar com saudosismo dos carros dos últimos aos e desta temporada, mas é a vida. Acredito que os caras que mandam no esporte já se ligaram, e vão se mexer. Nem os pilotos estão satisfeitos…

    Mas é isso aí, mesmo assim, vamos lá, deixar de sair na balada para ficar em casa assistido o Grade Prêmio do Cu do Mundo às 3, 4, 5 da madruga, nossas esposas/namoradas continuarão nos achando prá lá de esquisitos por levantar cedo no domingo “pra ver corrida”… Tomara que pelo menos em breve sejamos obrigados a ter que diminuir volume (como “antigamente”) por conta do ronco dos motores.

    Os grandes pilotos, projetistas, equipes, carros e campeonatos do passado que fizeram a história da f1 sempre servirão de referência, e lembra-los é parte da reverência à f1. Continue com os posts “Antigamente”, Flávio! Não pare, eles são fundamentais pra molecada nova e um caviar com Taittinger pros mais velhos!!!

    Quem gosta de corrida estará hoje, das 2hs da madrugada até as 4hs com os olhos na TV. Depois do pódio vai cornetar, falar isto e aquilo, reclamar… E vai madrugar de novo pra assistir o gp da Malásia, da China, Bahrein, e vai acordar cedo para ver o gp da Espanha, Mônaco… Até Abu Dhabi. Até a última corrida. Até o fim.

    Porque mesmo do jeito que está, foda-se, Fórmula 1 é legal pra caralho!

    Uma temporada para todos e um bom gp da Austrália!!

  14. Franco says:

    Nao creio que a briga sera entre os 2 da MB se algum sair bem tipo Vettel ou Bottas eles brigam

  15. Henrique says:

    Foi tudo muito legal, tudo dentro da ordem os treinos, mas será que não rolou uma pequena coceira na cabeça da RBR na escolha do Kviado?? Sei lá, mas sempre achei o Vergne mais consistente do que o russo em 2014 e achei uma p… falta de sacanagem com o francês, Só não xinguei muito no Twitter porque não tenho. Achei uma porcaria a estreia do Kviado nos treinos. Ainda mais passando na grama na reta dos boxes pra tentar a sua volta rápida. O francês ali se sairia melhor, pelo menos levar as duas RBRs pro Q3.

  16. Eddie says:

    Volto a dizer que acho que a saída de Alonso da Ferrari foi uma decisão de ambos os lados (equipe-piloto).
    Alonso questionava abertamente a competência da Escuderia com sua arrogância de sempre, e já não era carregado nos braços como nos primeiros anos pela equipe.
    A Ferrari sempre era um futuro certo de Vettel, e com o declínio de desempenho da Redbull, Oferta Milionária, e ofuscamento por Ricciardo, ele resolveu adiantar esse futuro.
    Sem contar que Alonso já é um Tiozão já com prazo de validade próximo de expirar. E Vettel tem o carisma e a nacionalidade que a Ferrari quer para curar a nostalgia pós-schumi .

  17. eduardo says:

    A F1 sempre teve anos que uma equipe se distanciava das outras e foram em maior numeros do que os campeonatos equilibrados como 1983 e 1986(1982 foi caótico) em 1992 o Mansell punha um segundo no Patrese que punha um segundo no Senna,em 1988 as Mclarem terminavam uma volta na frente do terceiro. Em 2014 tivemos belíssimas ultrapassaguens, na corrida supervalorizada em interlagos 2008 os carros eram hororosos e nada aconteceu na chatissima corrida até começar a chover e o Hamilton esteve com o titulo na mão por 98% da prova,se duvida é só rever a corrida

  18. Eduardo says:

    Rsrsrsrs. Por isso que estou viciado neste blog.

  19. Nem começou e o Lewis Hamilton já é o Virtual Campeão. O Nico Rosberg vai ter que nascer de novo pra derrotar o Hamilton. As Ferraris vem chegando e devem colocar as Williams na Freguesia. O Massacrado acabou sendo o Pole dos outros com o motivado Vettel no calcanhar. O Nasr pode tentar fazer a melhor estreia de um Brasileiro na F1, e a melhor estreia de um Brasileiro na F1 foi do Chico Serra com um Sétimo lugar no GP de Long Beach 1981 com um Fittipaldi. Ainda bem que não é a Década de 70 pras McLarens, senão poderiam estar fora do Grid.

  20. philipe speed says:

    Flávio,

    Concordo em gênero, número, grau e apelidos!!! Disse tudo!!!

    Esperamos com frio na barriga a temporada começar e ver uma situação como essa é de se decepcionar!!!

    Torcer pra carro quebrar pra ter graça é doloroso !!!

    Quer saber? Torcer pras Mercedes dar 1 volta no terceiro na metade da prova pra esse francesinho Jean nescau tomar bem no meio daquele lugar onde o sol não bate!!!

  21. Celião says:

    F1 , sempre foi assim , uma equipe dispara na frente , e ainda bem que tem dois pilotos que brigam pau a pau , pior foi a era Shumi , que ganhou um monte, sem ter um segundo piloto pra fazer frente.
    Mas como vc disse FG , vamos assistir assim mesmo .

  22. Francisco Martins says:

    Realmente é uma pena ver a temporada dessa categoria começar na madruga desse domingo e já saber quem será o campeão, isso mostra o quanto a F-1 perdeu a sua essência de categoria máxima do automobilismo mundial, prefiro dizer que é a categoria mais “ridícula” do automobilismo mundial. Pra quem como eu que já passou do 40 dá saudade lembrar daqueles tempos em os motores “gritavam” alto e cuspiam fogo a cada redução de marcha onde também a gente via os discos de freio incandescentes nas freiadas, nessa época dava para diferenciar os bons pilotos que dominavam aquelas máquinas no “braço”, essa era a essência dessa categoria que naquela época era realmente desafiadora. Hoje em dia isso acabou e o que vemos são esses carros “afeminados” que nem barulho fazem, essa palhaçada de recuperação de energia e um monte de frescuras eletrônicas que não sei qual a utilidade delas nesse esporte, enfim pessoal a F-1 acabou!

  23. Junior says:

    É sério que o Alonso ta tão mau assim?

  24. Vinicius says:

    Exato, não deixarei de acompanhar mas tá tão sem graça que nem gera mais espectativa na gente. Por isso também acompanho Nascar que mesmo andando 2h em círculos tem mais emoção.

  25. Jorge Santos says:

    Estas temporadas com uma equipe bem superior às outras não são de hoje, em boa parte dos títulos da Red Bull com Vetel e da Ferrari com Shummacher ocorreu do mesmo jeito, ou até pior. Também foi assim no título de Button com a Brawn, isso significa que os problemas estão nos regulamentos da F-1, eu repito, é preciso se basear nos americanos, eles privilegiam a competição, ao contrário da F-1.

    Os regulamentos precisam ser mais simples, pode até ter tecnologia mas nada que gere uma superioridade abissal de uma equipe, não pode ser nada que torne muito caro e complexo para as médias e pequenas; Estes regulamentos inviabilizam a competição, se equipes como a MacLaren e a Ferrari precisam de 3 anos para disputar um título é porque o regulamento não presta. Imaginem o tempo que a Haas precisará para se tornar competitiva? Alguém acha que isso motiva a novas equipes e novos fabricantes de motores a entrar na F-1? Com a palavra Bernie, FIA e a FOM.

    Sobre a corrida, se baseando pelos treinos, serão 4 corridas: Uma da Mercedes, uma da Willians e Ferrari, uma das outras, e uma da MacLaren. Agora é torcer para ter competição interna entre estas corridas.

    • Felipe Masr says:

      Pois é; pois é; pois é.

      E o velhinho precisa repartir melhor o bolo. Ele tira um quarto do bolo para a festa e o resto ele come sozinho mais tarde (pequenininho e guloso). E tem gente que fica com a fatia maior só porque é “amiguinha”, mesmo que não seja campeã (ou vai ver é medo da máfia à bolonhesa), e a coisa vai ficando pior por “desprogressão geométrica”, terminando as pequenas só com os talheres para lamber e meio copo de refrigerante.

      Hoje em dia não se faz mais carro vencedor (ou com chances de ser) com motor, transmissão, meia dúzia de carburadores, 300 kg de metal (canos/chapas/parafusos), 30kg de plásticos, 1 volante, 3 pedais, 4 amortecedores e 4 rodas; era tudo mais simples, e dava para alguém com pouco dinheiro tirar um coelho da cartola. Hoje em dia, os cartolas é que tiram o coelho; sem eles, esquece! Fim da fila, de castigo, e sem vídeo-game (simuladores)!

      E parece que tem muita sujeira na pista, e não estou falando do “macarrãozinho”… tem que alguém passar uma vassoura na categoria para os carros voltarem a fazer bons tempos (como nos velhos tempos).

      Mais eu gosto mesmo assim, com estes problemas. É uma categoria que tem seu charme, sua história. Ainda é o ápice para muitos pilotos, aquele sonho praticamente inalcançável, o melhor do melhor de seus desejos.

      Pra mim é tal como tomar banho: fico na maior ansiedade aguardando chegar o final-de-semana.

      [RESULTADO: HAMILTON / ROSBERG / VETTEL / MASSA / NASR / RICCIARDO / HULKENBERG / ERICSSON / SAINZ / PEREZ]

      Um “cheiro” pra vocês [garotas]!

  26. Segafredo says:

    Engraçado que, entre os anos de 2010 à 2013 o campeonato era de um carro só e ninguém aqui dizia: “É triste ver a RBR disparada à frente!”…………façam-me o favor! Tomare que a mercedes e Hamilton ganhem por mais 2 ou 3 anos de lavada!!

    • Anselmo Coyote says:

      Segafredo, vc disse tudo. Não lembro de vê-lo por aqui, mas eu era um dos gatos pingados que falava isso e parabenizava o Adrian Newey a cada vitória, pois ele sim, foi o responsável por aquele massacre.
      A propósito, meu primeiro comentário neste post foi dizendo que 2014 foi melhor e 2015 será melhor do que 2010/2013, pois há disputa pelo título.
      Abs.

    • Paulo Pinto says:

      Estou contigo nessa torcida, Sennafredo! Mais dois ou três anos de títulos mercêdicos…

    • eduardo says:

      Massacre só aconteceu em 2011 e depois das ferias em 2013,em 2012 a Red Bull começou comendo poeira e foi se recuperando durante o campeonato e até as ferias escolares de 2013 as tres equipes principais revezavam nas vitorias, a grande vantagem do Vettel foi aproveitar todas as oportunidades enquanto seus rivais perdia pontos

      • Segafredo says:

        ……a grande vantagem de Vettel foi estar sentado numa RBR (infinitamente mais rápida) de 2010 á 2013! Agora em 2014, quando não eram os melhores carros Vettel mostrou o verdadeiro piloto que é!…..(como Alonso já havia previsto anteriormente: “Saberemos o valor de Vettel quando ele não tiver nas mão o melhor equipamento nas mão!” Só então poderemos o que ele poderá acrescentar à equipe!)

    • John Player says:

      E quando era só a McLaren com Senna/Prost e depois Senna (McLaren) e Prost (Ferrari?) Esqueceram?

      Eu não. E posso dizer que quem não era do fã clube desses dois também achava CHATO PRA CACETE, mas não deixei de gostar e acompanhar a F1..

      Aliás achava bem pior do que ver a Mercedes dominando com Hamilton e Rosberg, como foi com Vettel x Alonso, Vettel e Webber, Schumacher x Hakkinen, Schumacher x Alonso, Alonso x Hamilton, etc… Afinal, não tinha o ufanismo pacheco babaca do Galvão Bueno em toda santa corrida de F1.

      O problema é a memória seletiva de certos fã clubes por aí….

      Agora ficam aí de mimimi. Não assistam mais a F1, pqp!

    • Felipe Masr says:

      E a Mercedes-(benze!)AMG está empurrando para pegar no tranco desde o tempo da Charlie “Brownie” (qual comprou as sobras amanhecidas à preço de “Delicatéssen Gourmet”), e que virou Mercedes GP. Chamou o “chumaço”, que cansou de ficar parado no freezer e resolver ir esquiar.
      Depois do “chumaço”, ainda ficou no freezer por mais ano com a dupla dinâmica, (“First & Second”) e só depois (no ano passado) gritou: -terra à vista!

      Agora as outras que assumam o carnê!

    • ricardo says:

      por mim, qualquer resultado tá bom, desde que o fdp do alonso se arrombe.

      pra quem quer ver competitividade, assista a Indy. essa F1 tosca, que em nada lembra o tempo de piquet ou senna, é o resultado das asneiras de Bernie ecclestone, que está gagá. acompanho a F1 há uns 35 anos, era daqueles que acompanhava treino, corrida, e ainda via os resumos que os outros canais, que não passavam a F1, faziam(SBT, BAND). Hoje dou uma olhada mais ou menos no meio da corrida e nem assisto mais, pq sei o resultado.

      antigamente os carros quebravam, sempre tinha essa possibilidade. agora não. acabou a graça.

      ou a F1 se reinventa ou morre. a base de fãs está envelhecendo.

      cordialmente

      Ricardo

  27. cfmorais says:

    A melhor tirada foi o plano do Alonso …

    • Felipe Masr says:

      Alonso deve estar chocado com o desempenho do carro.
      Ele pensou que iria ser um ano eletrizante para a equipe; porém, para ele foi um tremendo choque!
      Pior que trocou a pasta Italiana por um copo de Noodles (aquele macarrão “que nojo” no copo). Vai ver está afogando as mágoas com uma garrafa de “pinga de arroz” (que mais parece aquele álcool “aguado” que hoje vende no supermercado – que se jogar no fogo, apaga!). Bem diferente das “pingas finas” da Galícia.

      Japão é coisa para o parceiro dele, o João Botão, que tem um [par de] hashi feito com madeira nativa da América do Sul.
      “Michibata”.

      [Eu não, ele.]

      O Alonso, quando ele sai, onde estava melhora. Quando ele chega, a coisa piora. Acho que nem a Mercedes-Benze! Será? AllMyGrogue!

      Por falar nisto, ainda bem que saiu o azar do Massa. Bottou pra correr!

      Boa sorte para o Fernando Azaronso. Vai ver é a vida cobrando dele…

  28. guilherme says:

    Sem querer desmerecer o Massa, mas já desmerecendo, vale lembrar que o Bottas deu um mal jeito na coluna na metade da classificação. Desde o primeiro treino livre, ele estava enfiando o tradicional par de décimos pelo menos no brasileiro, o que, em vez de sugerir que o Felipe seja meia-roda, mostra que o finlandês é mesmo muito bom com pé direito. Foi só no frigir dos ovos que o Massa surpreendeu e se garantiu como o melhor do resto, mas acredito que ele largaria em quarto se o Bottas não estivesse bichado.

    • Felipe Masr says:

      Dizem que foi um mau jeito na hora que foi amarrar os caddarços.
      Confere?

      Por falar em vestuário, não tinha algo mais justo para o Vettel não? Parece que pegou emprestado – igual àqueles que pegamos nas pistas de Kart. Vai ver estão enchendo com Hélio e tem um botão para esvaziar antes de ir para a pesagem.
      Berço da moda. É melhor ele dar um pulo em Milão. Ficou com cara de borracheiro alemão.

      Só sei que “fiquei” em quarto e em quinto.
      Tô bem na Globo! Tá Massa!
      Vai ver que por baixo de “Banco do Brasil” tem a logomarca do SEDEX.
      O garoto “NSR” parece que tem sorte. E sorte dele que mudaram o repórter mais famoso do grid, senão…
      Ah, não amola!

      [Ah não, a mola!]

  29. luis angel says:

    A F1 sempre foi isso aí. Alguém abria um caminhão de vantagem e decidia tudo sozinho, Senna, Prost, Piquet, abriam UMA volta pro segundo, que abriam outra volta pro terceiro, tinha retardatário com 3, 4 voltas do primeiro. A F1 quase sempre teve um dominador, Schumacher fez isso por anos seguidos, a Red Bull fez até ano retrasado, a Brawn fez quando deu o título ao Button. E o que era pior, nos tempos de Ferrari/Shumi não tinha nem chance pro “piloto A2, B1” ou seja quem dividisse a garagem com ele, Webber era um zero a esquerda, nunca foi páreo para o Vettel. É muito cedo pra tanta lamuria, a Ferrari tem muito o que melhorar nesse campeonato, carros quebram. A Renault pode descobrir a macumba que tá phudendo o motor deles. afinal as Toro Rossos estão andando sem problemas. Alias se o pequeno Verstapen não dá quela escapada na volta derradeira, estava numa ótima posição no grid, Tinha feito P1 e P2 pra estar entre os quatro
    Ok, a Marussia é uma merda, e a Spirit? Hispania? Spyker? Super Aguri? Nem vou mencionar Life Racing Engines ou Modena-Lambo. Lembra da Lola? Também não conseguiu correr na Austrália.
    Estão surgindo moleques novos. BONS, Sains é bom, Verstapen, Kviado, a Haas estreia ano que vem, a Audi dá pintas que está gostando da ideia dos V6 e em mais um ano, esses carros vão estar quebrando os recordes anteriores.
    Então para de reclamar. Sem a politicagem do espanhol, esse vai ser um ano memorável da F1.

    • Flavio Gomes says:

      O retardado aí em cima tem quantos nomes e vai repetir a mesma cantilena quantas vezes?

      • ricardo says:

        hahahaha

        relaxa, flávio. o cara possui múltiplas personalidades, tem gente que tem essa patologia. o mundo ´tá cheio de doidos. gerencio páginas no face e numa delas tem um maluco que repete a mesma mensagem em todos os posts de todas as pessoas. bloqueio o fdp e ele cria outra personalidade e começa tudo de novo.

        personalidade multipolar, ou falta do que fazer.

        pensando bem, será que é o Alonso postando com outros nomes ?

        cordialmente

        Ricardo

    • Allez Alonso! says:

      Tava indo bem, até a ultima linha. Politicagem, que me lembro, tivemos da RedBull e da Mercedes, ambas envolvendo os pneus.
      A Ferrari esse ano também, com “nova” interpretação do desenvolvimento dos motores.

  30. Luiz Carlos says:

    Eu acho que Alonso já viu a carroça que é a Mclaren e não volta mais esse ano. Deve ter até alguma cláusula contratual prevendo o direito de pular fora se o carro for 10 segundos mais lento que o pole. Só acho.

  31. Alfredo says:

    Poha bicho, tu tá ficando velho e chato. A F1 sempre foi isso aí. Alguém abria um caminhão de vantagem e decidia tudo sozinho, Senna, Prost, Piquet, abriam UMA volta pro segundo, que abriam outra volta pro terceiro, tinha retardatário com 3, 4 voltas do primeiro. A F1 quase sempre teve um dominador, Schumacher fez isso por anos seguidos, a Red Bull fez até ano retrasado, a Brawn fez quando deu o título ao Button. E o que era pior, nos tempos de Ferrari/Shumi não tinha nem chance pro “piloto A2, B1” ou seja quem dividisse a garagem com ele, Webber era um zero a esquerda, nunca foi páreo para o Vettel. É muito cedo pra tanta lamuria, a Ferrari tem muito o que melhorar nesse campeonato, carros quebram. A Renault pode descobrir a macumba que tá phudendo o motor deles. afinal as Toro Rossos estão andando sem problemas. Alias se o pequeno Verstapen não dá quela escapada na volta derradeira, estava numa ótima posição no grid, Tinha feito P1 e P2 pra estar entre os quatro
    Ok, a Marussia é uma merda, e a Spirit? Hispania? Spyker? Super Aguri? Nem vou mencionar Life Racing Engines ou Modena-Lambo. Lembra da Lola? Também não conseguiu correr na Austrália.
    Estão surgindo moleques novos. BONS, Sains é bom, Verstapen, Kviado, a Haas estreia ano que vem, a Audi dá pintas que está gostando da ideia dos V6 e em mais um ano, esses carros vão estar quebrando os recordes anteriores.
    Então para de reclamar. Sem a politicagem do espanhol, esse vai ser um ano memorável da F1.

  32. Leandro says:

    Particularmente, não vejo essa e as próximas temporadas com pessimismo. Sempre tivemos, na história da Formula 1, períodos com domínio avassalador, como este da Mercedes.
    Quanto à velocidade dos carros, acredito que foi tomado um caminho sem volta com essas unidades de força. E o melhor a ser feito agora é desenvolve-las ao máximo, assim, haverá um enorme ganho de potência com o aumento do RPM, o que consequentemente , aumenta também o ruído dos motores.
    É o que já começou a acontecer nesta temporada, e tenho certeza que em no máximo dois anos, os carros estarão mais rápidos do que em 2004, quando tínhamos os V10 girando a 20000 rpm e com um ruído ensurdecedor.
    Temos que lembrar que estes propulsores foram projetados para alcançar 15000 rpm, e hoje mal chegam a 12000 em condições se corrida, por causa das limitações com o fluxo de combustível. Resolvida esta equação, tudo deve melhorar muito. O que não pode ocorrer é o Tio Bernie deixar mais equipes quebrarem até lá…

  33. Regis Br.Rock says:

    Não é só o Sr. que está indignado com essa F -1 mequetrefe e decrépita da era Eclestone.
    O título de pilotos e construtores já está garantido para a Mercedes. Nostradamus e até o Matusalém dono da categoria sabiam.
    ???
    Fernando Alonso tá seqüelado!? Sério? Ele não correrá até julho?
    Tomara que o espanhol melhore e volte a disputar este campeonato ainda neste ano.

  34. Fernando says:

    Bem, campeonatos começam meio decididos desde o ano 2000, pouca gente fala disso porque sempre tinha algo legal acontecendo. Mesmo agora uma ou duas disputas ainda acontecem, principalmente quando pilotos do mesmo time podem competir, como na Mercedes. Minha sensação é que Bernie vai conseguir acabar com a F1 por excesso de bobagens. E não é o motor não, gostem ou não será o futuro, dentro e fora das pistas, isso se houver “dentro das pistas” no futuro.

  35. Marcelo dos Santos says:

    Button estava na BAR Honda andando no fundão. Honda saiu, Button foi campeão. Honda volta, Button volta pro fundão.

    • Cristiano Dorne says:

      E o Alonso, foi pra macularem em 2007 e perderam o campeonato por briga interna, depois foi pra lotus e sabotou a corrida de Cingapura, foi pra Ferrari e a ferrari ficou fechada pra balanço 5 anos, e agora voltou pra maclaren pra afundar a parceria Honda e
      Maclaren. Na verdade a Honda nem precisa do alonso pra se afundar, ela naturalmente se afunda sozinha, tanto na fórmula 1 quanto nos carros de rua mesmo.

  36. Antonio luís says:

    Bem contrariado, mas sou obrigado a concordar com os comentários do Flávio Gomes,que a F1 já está decidida entre os 2 carros da Mercedes, pode ter ter uma ou outra surpresa aqui e acolá de algum outro “atrevido”, a minha expectativa é esperar para ver o que rende o Felipe Nasr, bom piloto, mas não tem muito o que fazer, carro limitado, vamos aguardar.

  37. Luis felipe says:

    É Tipo assistir ao brasileirao para saber quem vai cair apenas , ou será o último classificado para a Linertadores.. Em tempo, interessante sua sinceridade lá, faz dez anos , e é fato. Quem gosta permanece asssitindo.. A Globo passa a vida criando factoides e vendendo uma emoção que nao existe conforme eles anunciam, enfim… Abraço

  38. luis angel says:

    Quando o domínio era da McLaren com Prost-Senna não diziamos….”Não será um bom campeonato, infelizmente.”, Era divertido à beça. Na época do domínio da Ferrari, como todos a temos como 1º ou 2º time, nos divertimos -menos, é verdade. A Mercedes pelo menos deixa seus dois pilotos à vontade, o que garante alguma diversão. Estarei acordado para assistir!

  39. Pablo says:

    Concordo contigo, o campeonato começa decidido. Hamilton Tri! Queria que fosse um campeonato como em 89,

  40. ALAJ says:

    O Alonso deve estar querendo enfiar o dedo…. e virar do avesso, pensando na troca que fez.

    • Cristiano Dorne says:

      Nada kkk a maclaren deve ta querendo enfiar o dedo… O alonso só ganhou na renault com briatore, quem garante que os dois campeonatos não tinha sabotagem deles, porque depois ele não ganhou mais nada.

  41. Marcos Reis says:

    Sonyericsson seria o limado no caso Van der Ley? Troca um ruim por um nem tanto??

  42. Thiago Muniz says:

    Saudade dos anos 80…

  43. Glauson says:

    Engraçado nós brasileiros. Na época do Senna/Prost em 1988/1989 ninguém no Brasil reclamava que o campeonato já tava decidido. Assisto a Fórmula 1 porque gosto. Não deixo de ver só porque “já tá tudo decidido”.

  44. EDU MORENO says:

    Realmente, nada mais justo que o título de “f1 da depressão”. Quando a vergonha alheia paira enquanto assistimos a esse espetáculo (de horrores), é um claro sinal de que o caminho escolhido foi o pior dos disponíveis. Eu não me importaria nem um pouco em ver tempos 9, 10 segundos mais lentos do que 2011, desde que fosse proporcionada uma disputa parelha, em todos os aspectos, e que os pilotos estivessem guiando carros, de fato, e não essas coisas que mais parecem “sistemas de gerenciamento de combustíveis/pneus/eletricidade”.

  45. Tulio says:

    Acho injusta essa comparação com 2011. Afinal, em 2013 os motores eram os mesmos mas a pole foi 4 segundos pior (e 1s pior que esse ano). Concordo que tem que andar rápido, mas isso não é argumento contra esses motores.

    E nem essa história dos comentários de que tem que ser V12, V1000, sei lá o quê. A McLaren Honda do Senna era V6, 1500cc e todo mundo só fala dela com saudade, com “Ai aquelas manhãs de domingo………”.

  46. Professor Elson says:

    Destaque negativo, além da Mc Laren, para a RGT (até no treino de madrugada, mostrando apenas o Q3) e para o site oficial da F1, que cobra US$ 30 para disponibilizar o live timing, que, até 2013 era completo e gratuito, e, no ano passado, já começara a sofrer restrições).

  47. A parte sobre Alonso faz muito sentido! E deveriam rever essa pontuação. Como dar pontos para 10 entre 18 carros?

    Tá feio. Mas é verdade. Veremos tudo assim mesmo.

    • Paulo Pinto says:

      Como dar pontos para 10 entre 18 carros?

      Essa eu tenho que perguntar ao meu neto de 5 anos:
      – Ah, vovô, é só pontuar os 10 primeiros carros.

      Completarei, porque ele ainda não sabe: os 10 primeiros carros que classificarem no GP.

  48. José Leão says:

    Sou da antiga, para mim corridas de automóvel envolvem gasolina, carburador, cambio manual, macacão sujo, luva suja, graxa no chão da garagem e até alguns arames substituindo um parafuso perdido.. Hoje as vezes me confundo e não sei se estou assistindo F1 ou um dos capítulos da série House.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *