MENU

Thursday, 10 de December de 2015 - 17:24F-1

VAI LONGE

SÃO PAULO (tô com o baixinho) – O embate Bernie Ecclestone x Mercedes-Ferrari vai longe. O chefão da F-1 não se conforma com o poder que as duas montadoras acabaram conquistando na era dos motores híbridos incompreensíveis. Segue lutando por motores mais simples e baratos e diz que a maioria das equipes da F-1 abre as pernas para os poderosos. “Se o Toto Wolff disser que o Natal é no dia 26 de dezembro, todos vão concordar”, falou.

Para Ecclestone, Ferrari e Mercedes “vão acabar com a F-1”. O argumento é que, como fizeram BMW e Toyota em passado recente, são marcas que de uma hora para outra podem picar a mula, deixando a categoria no mato sem cachorro.

Ambas responderam com os anos de fidelidade à F-1 e pretendem bater o pé na questão dos motores. A Ferrari acrescentou que o Natal continua sendo no dia 25.

20 comentários

  1. José Brabham says:

    Ferrari abandonar a F1? Isso é impossível! O dia que a Ferrari abandonar a F1, a F1 acaba. Não se abandona algo que cessa de existir… Bernie cada dia mais gagá…

  2. Gustavo Segamarchi says:

    Essa do Natal foi FODA, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

    O Tio Bernie MITOU, agora !

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

  3. Elmo says:

    ‘A Ferrari acrescentou que o Natal continua sendo no dia 25.’
    Eu ri.

  4. Guilherme says:

    Fico imaginando se não seria melhor que não houvessem montadoras na brincadeira. Somente equipes de corrida. Sem segundas intenções além da competição em si.

  5. Alessandro Silva says:

    Acho é hora de um racha na Formula 1, do tipo que já aconteceu na Indy por exemplo. Cria a “Formula A” com as equipes pequenas e motores Indy e garanto que mais equipes nasceriam. Imaginem uma categoria paralela a principal com carros muito parecidos andando o mesmo ou até mais e por uma fração do valor gasto. Em dois anos eles matariam a “Velha Formula” e Ferrari e Mercedes teriam de entrar no processo seletivo se houvesse vaga no grid.
    Claro que isso é só um sonho. Mas seria bem legal…

  6. luigi says:

    É muito lógica esta posição das duas equipes ; uma quer continuar na hegemonia e a outra já deve ter gastado muito dinheiro em pesquisas para tentar suplantar a equipe dominante .
    Mas que seria melhor que os carros de F1 só usassem motores e que alguns pudessem apresentar novos caminhos sem ficar preso num regulamento idiota em que limita até a arquitetura do motor ,não dando chances a surgir algo novo e criativo nos motores de combustão.
    E como tem a Formula E ,poderia-se criar a Formula H para estes híbridos ,e quem quiser que optasse por uma ou outra ,ou quem sabe nas duas se tiver a$ competência$ nece$$ária$.

  7. Alberto says:

    O Bernie tem bastante culpa em relação ao estágio atual da F1.

  8. Celio Ferreira says:

    BERNIE, deveria dividir melhor o dinheiro , e incentivar mais montadoras
    a entrar , pois a F1 é e sempre será o celeiro das novas tecnologias .
    só se consegue igualdade tirando dinheiro das ricas , e dividindo com as pobres.

  9. josé says:

    Quem cria cobra acorda picado.
    Foi ele próprio quem guiou a F1 pra essa coisa lamentável que é hoje.

  10. Garlet says:

    Inglês irritado com a alta tecnologia alemã…………..normal………………

  11. Paulo Pinto says:

    Um “time” bolou esses motores e os times concordaram com os mesmos. Os que “acertaram a mão” estão felizinhos. Aos demais resta a injusta reclamação.

  12. Paulo Fonseca says:

    Prezado F&G: o ANÃO Ecclestone tem absoluta razão bota lá V-8 chevrolet, ou ford ,Ferrari, mercedes, BMW,jaguar,Massetari, alfa, Honda, Renault,,motores de garagistas, aí sim fica bom.

  13. Sergio SP says:

    Estranhos esses tempos em que estou de acordo com o Bernie Ecclestone e a Kátia Abreu.

  14. penataba says:

    Já vai tarde essa F1!! O Bernie plantou; o Bernie colheu.

    • Alvir Luiz de Liima says:

      Perfeitamente. Usando meus dotes de Mãe Dináh, eu “previ” que isso iria acontecer, quando Bernie começou sua cruzada para fazer a Fórmula 1 um esporte das grandes montadoras, desprezando as verdadeiras equipes de corrida. Aos poucos ele matou a Tyrrell, a Brabham, a verdadeira Lotus, sem falar nas “nanicas” March, Shadow, Ensign, que davam graça às corridas, com seus pilotos vez por outra abiscoitando uma colocação entre os seis primeiros ou até mesmo ganahando corridas. Hoje temos um buraco enorme entre as grandes equipes e as pequenas onde, mesmo com dez pilotos pontuando, não conseguem marcar ao menos um pontinho. No mais, corridas com poucos carros, pouquissimos vencedores e com pouquissimas emoções. Autódromos de autorama. Audiencia em baixa, tanto nos autódromos, como na TV. Teria de passar uma borracha e começar tudo de novo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *