Voyeurismo explícito | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 20 de março de 2006 - 14:35F-1

Voyeurismo explícito

SÃO PAULO (e já é outono) – Salvo engano, são todas de 1974. O Enrique Carmona foi quem mandou a dica. É um álbum de fotos tiradas em Interlagos naqueles tempos em que para entrar nos boxes era preciso um pouco de lábia e muita cara-de-pau.

Os que conseguiam exercitavam seu voyeurismo com suas Kodaks e corriam no dia seguinte para mandar revelar na Fotoptica. As imagens desse álbum são maravilhosas, pelo ar totalmente amador e, está na cara, por terem sido tiradas por alguém fanático por F-1 que, naquele dia, se sentia no paraíso.

Eu atento muito aos detalhes. Vejam na foto 22 o microfone da TV Globo. Quem será que era o repórter?

Vale a pena uma viajada nessas fotos. Assim, boa viagem.

67 comentários

  1. murilo disse:

    Poderia me mandar um texto sobre O QUE É O VOYERISMO AINDA HOJE ANTES DE 18:30 DA NOITE.Obrigado desde JÁ.

    RESPOSTA DO FG:

    Claro. Para qual endereço?

  2. Flavio Friedrich disse:

    Expetacular , maravilhoso… e mais um monte de adjetivos podem ser usados p/ definir éstas fotos .
    Um importante registro da história desse esporte apaixonante .
    parabéns a todos que tornaram público esse verdadeiro documento de uma fase romantica e bela da F1 .
    Abraços .

  3. Edison Guerra disse:

    Olá, Marcelo Fernandes

    O March nº 9 verde musgo era do alemão Hans Stuck!Observe seu capacete com uma coroa de estrelas ao redor da viseira.O interessante é que essa marca virou o símbolo da atual Comunidade Européia.
    Abraços.

  4. Marco Antonio disse:

    Gomes, boas fotos. Tenho algumas raridades que tirei em 76 ( para os mais novos – 1976 ) do Copersucar, com Emerson, Divila, etc…em Interlagos.
    Vou escanear e mandar para aí.

  5. Marcelo Fernandes disse:

    Oi Marcelo Fernandes

    se vc quiser te envio as fotos do carro da coloni subaru, tenho até fotos de quando eles testaram este motor em uma minardi.

    qualquer coisa é só falar.

  6. Marcelo Fernandes disse:

    Hei galera,

    resolvi colocar aqui mesmo uma curiosidade que me afligia há tempos: a malfadada aventura da Subaru na F1, acredito que muitos saibam como foi, de qq maneira tem esse endereço com a página que descobri e resume a temporada do Coloni-Subaru!!! Se não me engano um dos pilotos foi o Bruno Giacomelli
    http://www.iwoc.co.uk/subf1.html

  7. Filipe W disse:

    Oi Marcelo Borges,

    Não é link não, são as revistas que eu tenho aqui em casa, estou tend oque fazer uma expedição arqueológica para acha-las.
    Mas assim que achar eu coloco aqui.

  8. Marcelo Borges disse:

    Filipe W,
    Se der copia e me manda o link da Autosprint sobre as velocidades.
    Obrigado.
    Um abraço,
    Marcelo Borges.

  9. anselmo disse:

    barbaro, sou dessa epoca e adorei
    tem até o todo poderoso ( atualmente ) da fiat/ferrari/ o luca montezemolo olhando de esgueio a entrevista do Clay Regazzoni
    quem tiver mais, manda

  10. Marcelo Borges disse:

    É rapaziada, então essa evolução me surpreendeu. Não imaginava que a diferença fosse tão grande entre um F1 de antigamente e um F3 de hoje.
    Mas de qualquer maneira era muito difícil domar aqueles carros de 450 cavalos e pouca aderência aerodinâmica, mecânica e com freios muito menos eficientes.
    A tocada era outra. O cara tinha que ser maluco pra entrar numa curva como se fazia naquela época, todo atravessado, pé cravado, tanque de gasolina do lado e com um chassi com a mesma resistência de uma lata de cerveja.
    Definitivamente, era pra poucos.

  11. Filipe W disse:

    Oi Marcelo Fernandes,

    vou dar uma olhada nas autosprint pois elas tem uma seção com as velocidades finais na reta em Jacarepaguá se eu achar eu posto aqui.
    um abraço

  12. Breno Torres disse:

    12 segundos, confere. Isso mesmo.

  13. Filipe W disse:

    Oi Marcelo Borges, são 12 segundos sim (mais ou menos) quem falou isso, se não me engano, foi o Piquet durante os testes de F3 em brasília do Nelsinho, onde ele justamente resaltava essa evolução tremenda dos carros.

  14. Marcelo Borges disse:

    Para quem quiser ter uma noção do que andavam os F1 da década de 60 basta instalar o jogo GP LEGENDS no micro.
    É de um realismo absurdo.
    A temporada é de 67 e os carros andavam uma barbaridade.
    Os fabricantes de jogos de alta qualidade, o que é o caso, sempre se utilizam de informações precisas para a elaboração do programa. Então, caso alguém tenha interesse em fazer esse tipo de comparação, consigam esse jogo.
    Abraços,
    Marcelo.

  15. Marcelo Borges disse:

    Marcello Fernandes:
    Apesar de você demonstrar ser um cara que conhece bem sobre automobilismo me parece um certo exagero essa diferença de 12 segundos.
    De qualquer maneira vou pesquisar.
    Um abraço,
    Marcelo Borges.

  16. Marcelo Borges disse:

    Realmente fantásticas essas fotos.
    Mas com certeza são de anos distintos pois o Niki Lauda aparece em algumas fotos de macão vermelho e em outras de azul.

  17. Marcelo Fernandes disse:

    Ok Filipe,

    vou dar a minha réplica (ou tréplica) e dar o assunto por encerrado citando dois dados: Em 1988, estava aqui no RJ em JPA e me lembro do Nigel Mansell reclamando que sua Willians-Judd não passava de 265 km +- no retão de mais de 1 km. Levando em conta que os motores eram 3.5 e teriam algo em torno de 600 cv a 12.000 rpm, fico pensando novamente nos 318 de 73. Tb deve se levar em conta a perda de potencia na altitude de Sp, fato sempre lembrado a época dos Gps em Interlagos. Tudo bem, a curva antes do retão era eita em 1a e em Interlagos antigo era feita de pé embaixo mas, veja bem a discrepancia, estamos falando de cerca de 50 km a menos num carro com 150 cv a mais!! AH sim, as regulagens aerodinamicas variam de pista pra pista, mais carga no Rj menos em Sp, ok, o projeto da Willians, ok, mas 50 km são 50 km! Em 88 tb, as MClaren Honda com os motores limitados, pressão máxima de 1,5 bar e tanque com 150 litros sem reabastecimento, não conseguiam superar a barreira dos 300 km aqui em Jpa, e ainda assim eram cerca de 700 cv, talvez um pouco mais em treinos. Bom, fico por aqu e de qualqer maneira tinha mesmo que ser muito macho e muito bom pra andar com os carros daquela época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>