O “PÉREZ” DE 1993

O

SÃO PAULO (mas os meus cabelos…) – Matéria do “Fantástico”, sóbria e sem afetação, na noite do GP da Europa de 1993, em Donington. Dá até para entender a corrida… A vitória de Senna foi espetacular. Mas o tom laudatório que se vê hoje a qualquer vitória brasileira em qualquer esporte era bem mais contido. E como lembra o Denisson Gervásio, que mandou o vídeo, Barrichello, por pouco, não terminou aquela prova em terceiro. Aliás, coloco essa entre as cinco maiores corridas de Rubens na F-1. E aos 4min54s, no canto inferior direito, aparece a testa deste que vos bloga.

Sobre o Autor

Flavio Gomes

Flavio Gomes é jornalista, mas gosta mesmo é de dirigir (e pilotar) carros antigos.

111 Comentários

  • Comparada com esta reportagem, a cobertura da Globo hoje em dia da Fórmula 1 nos telejornais e programas de esporte é ridícula. Dão ênfase nas reportagens em mais entreter que informar, principalmente com ele aquele jeito meio cômico que não tem graça nenhuma. Hoje, se você perdeu a corrida, já era, nem adianta esperar um bom resumo de imagens (o jeito mesmo é partir para internet em sites especializados como o Grande Prêmio e afins). Pior ainda que as imagens não são liberadas na internet, salvo aquele resumo também ruinzinho no site oficial da F1 dias depois do GP.

  • o ru foi bem na indy largou em 14 chegou em 8 os italianos nao precisa fazer comparaçao rubinho e massa o rubinho sempre ficou na cola do sumi o massa fica longe do alonso eu tenho certeza q o acidente q ele sofreu com a mola na kbça ele ficou em coma alguns dias e ficou com problema psicologico pra min vai ser deficil ele voltar ter motivaçao prar ser o + rapido eu tenho a mesma opiniao do emerson fittipaldi deu uma intrevista no fantastico em 88 ou 89 dizendo q nelson piquet era + piloto q senna ele dizia gostava da pilotagem de nelson eu assino em embaixo da declaraçao do emerson

  • Apesar de não ter ganho o título, 93 foi um ano muito bom, porque 92 foi uma bomba. O que me faz assistir corridas ainda é a esperança de sentir o que se sentia aquela época.

  • Vendo o Barrichello quebrar toda hora lembro do Piquet no Roda Viva, e se não falhe a memória foi a resposta deuma pergunta do Flavio Gomes, comentando que os carros que ele pilotava não se podia errar a entrada da marcha que perdia o dente da engrenagem, então acho que o Rubinho quebrava os carros, não era só azar não. O Rubinho sempre foi isso “Hoje sim, hoje sim, HOJE NÃO”.Boa sorte na Indy

  • O Rubinho ate pode ser zicado…….mas…é muito mais piloto que o Massa…..o tempo ja esta mostrando isso…
    nao é a toa que a pesquisa no site italiano continua dando Barrica no lugar do Massa!!!!
    Ta dando pena ver o Massa correr.

  • Massa –

    Ouvi um comentário interessante, parece que estas performances pífias do Massa poder se dever necessidade da ferrari testar o carro, e o carro dele é o virtual carro de testes ‘A LIVE” , enquanto O Alonso pega o carro “arroz com feijão” e senta a bota como sabe fazer muito bem

    Ouvi..logo não é uma ponderação minha.. e com certeza o Massa jamais podeá comentar este fato.. pois aí sim.. seria mandado embora instantaneamente

    Afinal sua diferença entre o Alonso sempre beirou costumeiramente os .3oo ou .400 , o que nunca foi novidade. Mas 1 segundo… é realmente muito estranho e esquisito.

    è dada a largada e ele estava com um carro de diferença do Alonso, e depois de 6 voltas já estava perdendo tempo.. com os pneus já deteriorados..

    Pode ser isso.. porque não.. ser um piloto médio é uma coisa.. mas ser um piloto péssimo que toma 1 segundo do companheiro de equipe, realmente não se encaixa no perfil deste piloto

    Aí tem coisa moçada!!!

    Fuiiiiiiiiiiii

    • Concordo com você camarada!!! Essas coisas são tão às claras que só não enxerga quem não quer!!! Da mesma forma que o Peter Sauber, o Perez e a Ferrari negarão até a morte que não houve interferência desta última por trás dos bastidores para que o Perez não passasse o Alonso. A Ferrari é a equipe mais suja que existe na F1. Se o Button fosse pra Ferrari, jamais ele teria as mesmas condições nesta em relação ao Alonso, como ele tem na McLaren em relação ao Hamilton.

  • Bons tempos mesmo..

    Assisti esta a corrida de cabo a rabo.. naquela época eu podia estar estafado das minhas noitadas musicais, porem acordava na hora da corrida e a assistia até o fim de olhos arregalados.

    Coisa que não consegui nas sonolentas temporadas dos ultimos dois anos. Mas parece que a temporada de 2012 promete emoções, duas provas e nada acordar no sofá com a mulher me chamando ao meio dia para almoçar rsrsr

    Sou franco…Gosto mesmo é do Piquet.. de quem sou fanzasso de carteirinha, entretanto não tenho duvidas que o Senna era um mestre na arte de pilotar rápido nos instantes que isto era necessário, e estrategista na hora da economia ou na segurança de usar pneus secos no molhado.

    Bastava chover para despachar uma luneta na canalhada, como diria Edgard Mello Filho..

    Vai ver que ele tinha algum pacto com São Pedro, ou com o “reverso”!

    Pois.. logo após esta corrida história Frank Willians teceu o seguinte comentário

    “Este rapaz deve ter feito algum pacto com o demonio” rsrsr

    São Pedro ou Satanás.. céu ou inferno..sei lá,

    Não creio em bruxas.. mas que existem..

    Existem…

    Fuiiiiiiiiiii

  • Para quem não viu a corrida talvez ainda seja possível assisti-la completa em um desses sites de vídeos. Até pouco tempo eu ainda consegui vê-la, mas parece que o dono do canal foi obrigado a retirá-la pouco depois.

    • Eu responderia as seguintes, colocaria mais 5 e seriam nesta ordem:

      1º – Gp da Alemanha 2000
      2º – Gp de Mônaco 1997
      3º – Gp da Inglaterra 2003
      4º – Gp da Áustria 2002 (apesar de ter rolado aquela marmelada, foi uma das melhores pilotagens da vida dele, dominou todos os treinos desde a sexta e só não foi 1º na linha de chegada, todos nós sabemos o porquê)
      5º – Gp de Donington 1993
      6º – Gp de Aida 1994 (teve problemas quando seu carro apagou nos boxes, mas ainda assim conseguiu salvar seu pódium)
      7º – Gp de Monza 2009 (com a estratégia de Ross Brawn de para menos, ganhou em cima das Mclarens que eram visivelmente mais rápidas àquela altura do campeonato)
      8º – Gp da Inglaterra 2008 (sob chuva Rubens salvou um lugar ao pódio com o sofrível carro da Honda)
      9º – Gp da França 1999 (largou na pole conquistada sob muita água, liderou boa parte da prova, mas não pôde conter Mclaren e Jordan. Ao final, foi 3º)
      10º – Gp da Europa 2009

      • Engraçado alguém falar no GP da Inglaterra de 2008! Hamilton venceu aquela corrida. Rubens, com pneus de chuva extrema, passou metade do grid. Só não passou o Hamilton porque ele estava muito tempo à frente e a pista estava secando. Curioso e que nesse mesmo ano, o Button vence um GP e todo mundo (diga-se os anti-Barrichello) ficam falando que o Button venceu com a eca-Honda, coisa que Rubens não fez. Concordo, mas não o fez porque o destino não quis! Não parasse de chover nesse GP e ele teria vencido!

        Acho que os anti-Barrichello deveriam procurar olhar TODOS os lados da história; não apenas aqueles que lhes convêm!

  • mesmo depois de ver essas cenas tem babaca torcedor de alemão, (que rodou com carro melhor que o do senna), que duvida da capacidade do cara.
    depois o cara se magoa quando pego no pé dele.
    brincadeira
    teve um blogueiro que falou a verdade, o alemão foi um rei de olho só, atér aparecer um tal de alonso e destroná-lo, (sim, destroná-lo, queiram as amantes ou não).
    ainda vai fazer algo neste ano, mas é bananeira que já deu cacho, como diz um amigo.
    repito o que já postei antes: ele não tem mais o preparo necessário para aguentar um carro traseiro, vai ficar cansado sempre da metade da corrida em diante,

    • Lá vem a analfabeta viúva novamente destilar seu ódio contra o Schumacher. Tirando conclusões universais com base em uma corrida. Se o Schumacher foi o rei de um olho só, você é o comentarista de um neurônio só. (PS: Vá aprender a escrever).

      • o burrinho, onde eu destilei ódio contra o alemão?
        vai aprender algo. eu apenas disse que ele não tem mais o condicionamento fisico para aguentar um carro que sai de traseira, (muito mais difícil de guiar, mas que ele gosta).
        ademais o blog é sobre automobilismo e não sobre aulas de português.
        voce por exemplo escreve tanta asneira, (vem de burrinho), que eu não me dou ao trabalho de ler, faça o mesmo.com os meus comentários.

      • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…. vem de “burrinho”!!!! Essa foi muito boa!!!

    • Cara,vc tem que admitir que o Shummy é o melhor sim de todos os tempos aqui na terra,pois o Senna era de outro planeta. O rapaz estreou em 1991 com uma Jordan que nao andava e se classificou em 7° no grid,e na corrida abandonoyu quando estava em 4°,em 1992 e 1993 com a carroça da Benneton ganhou ate corrida,quando tinha nas pistas ainda Senna,Prost,Piquet,Manssell e outros mais,foi pra Ferrari em 1996 com a missão de melhorar o carro e tb com uma carroça nas maos brigou ate o fim pelos campeonatos,depois,obviamente com o melhor carro fez o que fez,mas so colheu os frutos de sua pilotagenm altamente arrojada e eficaz. O Alonso é fera,melhor piloto em atividade,mas o Shumacher é o cara! Entenda isso e vá ser feliz.

      • felipe concordo em partes contigo, mas ele largou em 7° e abandonou na largada mesmo sem embreagem.
        nunca tirei o mérito dele, mas cada um teve seu espaço na f 1

  • espetacular! mas to achando q o senna largava aquele papo brabo de religião para não dizer: eu sou o cara! sou fodão. com uma bosta de carro humilhei os outros…

    simplesmente demais! e q quantidade de gente no pit!

    agora quero ver eu conseguir dormir…

  • Impressionante como o Bruno é igual ao tio, até o jeito de falar! Hoje não se falam nem 1 minuto no fantastico quando Massa ou Rubens ganha… Quando o povo perceber que o padrão globo de qualidade se foi, já será tarde… infelizmente.

  • Observações:
    A vantagem do Senna era sempre usando por mais tempo o pneu de pista seca quando todos corriam pro box.

    Prost era o primeiro a fugir pro Box botar pneu de chuva.

    Hoja, acho que isso não daria certo. Os carros parecem bem mais difíceis de guiar usando pneu de pista seca no molhado.

    Perez fez uma grande corrida, pode ter um futuro brilhante, mas não dá para comparar com essa corrida de Donnington não.

    • Acho que não Youssef.. os carros de hoje são mais fáceis de pilotar.. tem controle de tração, que impede as rodas motrizes de patinerem, não tem embreagem /, fora a tecnologia utilizada em oFf que a gente sequer tem a ciencia de ser utilizada.

      Acho que os pilotos de ponta é que sempre fazem a diferença.. o Alonso é um deles… o resto pode não rodar na chuva em virtude da tecnologia.. mas também não viram tempo..Logo nada mudou entre os ases e os asnos.

      • Acho que para um formula 1 não usaria a expressão “mais fácil de pilotar”, mas sim os carros de hoje são menos complicados de pilotar, tens razão que a tecnologia hoje empregada facilita, no entando não forma pilotos.
        O piloto hoje não tem vez em acertar o carro por causa da tecnologia, assim sua tarefa é sentar e pilotar, o engenheiro tem uma decisão de modificação/acerto maior que nem sempre é o certo.
        Creio que é a diferença entre o Massa e o Alonso onde a Ferrari faz um carro ruim mas o acerta com as caracteristicas do Alonso (fora o talento) deixando o Zacarias do jeito te vira com o que tens.
        Por este motivo que valorizo a NASCAR onde não há telemetria.

    • Parabéns, Fábio! Sua vaga no céu já está garantida! Depois de nos proporcionar ótimas e históricas imagens, só há uma coisa que eu possa dizer: bis!!!

      Se tiver mais, eu perturbo o Flávio Gomes para colocar no ar!!!

  • A semana toda ouviu falar ro Pérez, acho muito cedo dizer que é o cara é exepcional, foi uma corrida nada de genialidade apenas oportunidade.
    Aposto que após a próxima corrida vamos comentar sobre o Pérez novamente, mas da maneira habitual que fazemos e somos muito bons nisso que é criticar.

  • É bom ver estes vídeos do passado. Com eles da para entender porque Fittipaldi, Senna e Piquet estão no seleto grupo dos melhores pilotos de todos os tempos e no caso do Rubens não foi por acaso que durou 20 temporadas na F1.

  • 2 comentarios: sera o massa o michael andretti da ferrari? E antes era muito mais simples e sem putaria de pneus; ou era slick ou era biscoito. Puts, quanto tempo nao vejo alguem falar pneu biscoito nas transmissões.

  • boa tarde Gomes e galera.

    cara comparar o …ET SENNA …com o Perez ou qualquer outro piloto que ja pisou neste planeta e BRINCADEIRA…cumpadi !!!… outra…como e bom assistir o ET atropelando todos…e conseguindo vencer com esta fraquinha Mc/ford…se ele estive-se permanecido vivo + um pouquinho ele DETONARIA TODOS + facil ainda com a Super Equipe que se formou com a Tecnologia Mercedes Benz…ele sendo powered by MB… seria ate covardia ele competir com os outros pilotos humanos normais…valeu.

  • Percebo que há, isso sim, muita afetação por parte da mídia que cobre F1 no Brasil, princiaplmente dos funcionários da “testa” deste blog sobre este mexicano, o Sergio Perez. Fez uma baita corrida na Malásia, etc e tal. Ponto. E por enquanto, é apenas isso mesmo. Nada mais. Acho improvável que o apadrinhado do Carlos Slim repita performances assim ao longo da temporada. Pode acontecer em circunstâncias anormais, como as da Malásia, por exemplo. Algo estilo Damon Hill em Hungaroring/97 é muito complicado de ocorrer. Portanto, cuidado com o andor, vocês aí, mesmerizados que estão com o mariachi da Sauber. Há muito chão pela frente para que cantem em prosa e verso esse garoto como “gênio” ( de acordo com o Capelli ) e outros predicados afins. Muito chão mesmo.

    • Senna foi o Rei da melhor geração da F1. Schumacher foi o Rei de um olho só em uma terra de cegos! Que geração medíocre… Hakkinen, Coulthard, Frentzen, Irvine, Barrichello.

      Números são importantes, mas mais ainda é o contexto!

      • Esses argumentos mongolóides para desmerecer 7 (!) títulos mundiais de um piloto são fantásticos.

        Então vamos aos fatos: Schumacher não tinha adversários? E o Senna, nos seus 2 primeiros títulos, tinha quantos? Apenas um, já que a McLaren era 1,5 segundo mais rápida que qualquer carro por volta. Vá pesquisar.

        Mesmo assim, enquanto o Prost esteve na equipe, foi 1 título para cada, sendo que o Prost marcou mais pontos que o Senna e só não levou os 2 títulos por causa da regra estapafúrdia de descarte dos piores resultados.

        No terceiro título o Prost já estava fora da F1, depois de comparar a Ferrari com um caminhão, e a McLaren só começou a ser superada pela Williams na metade do ano. Com o Mansell batendo e o carro quebrando corrida sim, corrida não, podemos dizer que só foi 1 único competidor à altura. Tanto que quando a Williams resolveu seu problema de confiabilidade (1992) o Mansell trucidou o Senna e quem mais viesse pela frente.

        Essa história prova que o Senna era ruim? Óbvio que não, puta piloto. Mas prova como é fácil reduzir o feito dos outros, como VIÚVAS adoram fazer.

    • Senna e Barrichello haviam corrido muito nesse circuito na época de F3, depois de uma extensa reforma. Eles conheciam bem o circuito especialmente na chuva. Os treinos classificatórios tinham sido com pista seca. Os dois se destacaram na corrida porque tinham um conhecimento que os outros tiveram que aprender na hora, sem treino. Era o primeiro ano de Donnington com chuva e F1. Não tem mágica, não tem ET e não tem Deus. Senna mandou bem, Barrichello também. Mas nada de sobre humano.

      • Caro Joca,

        Tudo bem que o Senna poderia até ser a galinha dos ovos da globobo e do gavião (que onde abaixa não sobra ….). A globobo é realmente o atraso deste país. Mas tem pessoas (penso não ser o seu caso), que vivem a dizer que o Senna foi o que foi por causa da globobo. Eu pergunto a estes sabichões: A globobo tem tanto poder assim até fora do Brasil? No Japão, por exemplo? Até hoje o Senna é idolatrado naquele país e em outros lugares do mundo. Coisa para se pensar…

        Abraços.

      • Com isso a lenda e o legado do Senna foi se formando, Domingo de manhã e à noite com 6 minutos no “Show da Vida” !!!
        Será o Pérez um Barrichello com sorte ???

    • Tenho que concordar com vc grande amigo. espero queo Rubens tenha esgotado o estoque de azar dele nestes 19 anos e que na indy tenha início uma carreira repleta de boas performances.. Talento e experiencia para isso ele tem de sobra.

      Guanhar logo de cara vai ser muito difícil, Indy não é só pilotar rápido, existe o cuidado com o consumo, com os pneus.. se exagerar e gastar os o pneus ou ficar com pouco combustível.. vai para o fim do pelotão. Logo está certíssimo em começar mais pé no chão..

      Fuiiiii

Por Flavio Gomes

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG