MENU

sábado, 14 de março de 2015 - 6:54F-1

BOM DIA, GP!

SÃO PAULO (no ar, rapidinho!) – Pensam que a gente dorme aqui? Comentário em vídeo da definição do grid em Melbourne já no ar. Vejam, comentem, divulguem!

31 comentários

  1. Luiz disse:

    Fato é fato, e as Merças são inalcançáveis, ponto. Daí pra traz a coisa vai ser muito boa, com Ferraris e Williams, Toro Rossos e Sauber, essa no singular mesmo, as Lotus e as Red Bulls.

  2. Christian disse:

    Quero ser um macaco peludo e do saco roxo, se os motores da Lotus e Williams, são os mesmo utilizados por Hamilton e Rosberg. No tempo de Vettel e Red Bull era bem diferente, havia competição e um maior equilíbrio entre as equipes. O domínio era do piloto e do carro, agora é somente do carro ! Vai ser difícil assistir um passeio ainda maior da Mercedes. Mas como o que vale é grana, o regulamento de 2014 em diante já tinham sido vendidos para a equipe Alemã a muito tempo.

  3. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Os patrocinadores não podem pressionar para que haja mudanças na F1 no sentido de atrair mais público ?
    Afinal é o público que consome as marcas e dá faturamento p/ eles.

  4. Fábio Burian disse:

    Eu posso estar enganado, mas acredito que esse ano será mais equilibrado entre as Mercedes do que foi em 2014. Boto fé no Rosberg.

    E acredito que a Ferrari com Vettel e a Williams podem vencer uma corrida em condições especiais.

    Mas me dá dó de ver Alonso em uma escolha errada e que com todo talento que tem (apesar de não gostar dele) andando em último.

    E parem de falar de Ayrton. Ele foi ótimo fora de série mas se foi. E em relação a um carro não dar partida por causa de um software….. quem gosta disso é um trouxa.

  5. rafael pcs disse:

    Flávio, aos numeros, na FE a diferença entre o primeiro até o décimo oitavo foi a diferença do Hamilton para o Massa, ao nível de imagem e dinheiro gerado, a F1 ainda é soberana mas à nível de interesse do publico vejo um caminho muito promissor para a FE, sinceramente to mais interessado no e-prix do que no Gp de hoje de madrugada.

  6. Oi? disse:

    Paolo Ianieri – La Gazzetta dello Sport) Felipe, since you have the same engine as they have, where is the difference? Is it just in the car, or…?

    FM: I guess so! If we have the same engine the difference should be in the car, or… I hope we have the same engine. I believe we have the same engine, so it’s the car. Maybe.

    OR… I HOPE… MAYBE… isso só corrobora o que eu penso: óbvio que a MB tem motores diferentes.

  7. Fabio disse:

    Foda é ter que aguentar as primeiras etapas no Oriente Médio/Asia, em provas sem tradição alguma. Austrália e Japão eu assisto numa boa, porque são provas boas. Foda é ter meses com Bahrein, China, etc. É pedir pra perder público.

  8. Glauson disse:

    Vocês estão muito saudosistas. Formula 1 é daqui pra frente.

    Se o Hamilton fosse brasileiro todos aqui estariam adorando a formula 1 atual, moderna, onde vc acompanha os tempos do piloto on-line, onde tem vídeos disponíveis aos montes, onde o carro tem energia elétrica, poluí menos do que aqueles motores só a combustão, etc., etc., etc.

    Na época em que o Senna e o Prost corriam sozinhos, onde a Minardi nao tinha a menor chance sequer de um pódio, não via nenhum brasileiro reclamar, nem vc Flávio, acho que nem vc reclamava naquela época de “formula 1 depressiva”.

    • Tiago disse:

      Concordo em partes, pois não sei e não me interessa do que o FG falava na época do Senna.
      Quanto a maioria dos brasileiros, na verdade eles gostam do esporte no qual um brasileiro esta ganhando. Também vejo a formula 1 porque gosto de automobilismo, nao ligando se alguem que nasceu aqui no pais esta na frente, inclusive ja faz tempo que tenho apreço pelo Hamilton, mas nao “morro” se ele não ganhar.
      Outro ponto a F-1 faz o que eles (donos) quiserem, caso alguém nao gostar, vai assistir outro esporte, é facil de resolver, ninguém precisa se martirizar e ficar reclamando a todo instante, povo cabeça dura, ta louco.

  9. Alberto disse:

    Bom dia. Flavio, gosto muito de tudo que vc escreve sobre qualquer assunto, do jeito que vc escreve; leio e acompanho o blog diariamente. Gosto bastante da ideia do Bom dia GP, também. Jornalismo, mídia, etc, parecem caminhar nesse sentido e o melhor que se tem a fazer é pegar esse bonde quando ainda está largando. Gostaria de fazer uma critica construtiva, se possível: a não ser que o quadro seja voltado para um publico que não lê o seu blog e não acompanha muito as notícias sobre a F1, acho que poderia diversificar um pouco o conteúdo do Bom dia, pois acaba sendo uma repetição do que vc já escreveu ou das principais notícias do dia, facilmente acessíveis de outra forma. Acho que a proposta é essa mesmo, de anunciar as principais notícias do dia, mas elas não mudam na hora em que assisto o Bom dia. Claro que essa é apenas minha opinião e talvez a maioria do pessoal que assiste pense diferentemente. Sugeriria participações especiais, entrevistas, curtas mesmo, talvez semanais. Sugiro isso mesmo com a continuação do Bom dia. Boa tarde.

  10. Jorge Palomino disse:

    Flavio desde que passou a usar o UOL para hospedar o site não consigo visualizar seus vídeos via plataforma mobile, como tablets e smartphones, tem ciência disso? Pode resolver?

  11. Klauss disse:

    Não tem jeito de assistir os vídeos por smartphones?
    No meu (iPhone) não mostra nadinha!! Só espaço em branco under do texto “divulguem”!!

  12. Renan Moura disse:

    Bom Dia Flávio!!! Aff, Você tem roda razão meu amigo. Acordei hoje todo empolgado, náo querendo crer nesta realidade, mas depois do que vimos vai ser isso mesmo. 2 categorias juntas. Bernie já andou pensando nisso, mas mal sabe ele q já está fazendo isso com a Fórmula 1. Mas como sou um fã, doido, apaixonado por corridas vou continuar assistindo. Mas esse ano, só pra ter emoção, vou torcer pelo Rosberg, sei q ele é “menos piloto” do que Hamilton mas só assim vai me dar emoção e acordar nas madrugadas. ;)

    • Edjair disse:

      Eu discordo, carissimo FG tenho total apreço pelo seus elaborados discursos muito difundidos entretanto se me me permite a ousadia, não era pela força dos rivais que acordava todos os domingos pela manhã para assistir Ayrton Senna correr, eu acordava para ver Ayrton Senna correr e hoje tenho a felicidade de acordar para ver Lewis Hamilton correr com um adendo ele não é Senna, Senna será sempre Senna mas entre os atuais postulantes a grande o Unico que tem meu total respeito.

  13. marcelo villela disse:

    nao vi o treino, fui informado por vc.obrigado…..mais essa formula 1 ta osso de assistir……..formula E ta ficando bao

  14. Charles disse:

    Bom Dia! Gostaria de saber como faço para encontrar a réplica de um modelo de carrinho chamado Belcar da DKW e se existe na cor laranja, coral ou goiaba, no tamanho de 10 ou 11 cms…
    Muito Obrigado.

  15. Arthur Luz disse:

    Fica assim não, hoje tem Formula-E

  16. Arassatubano disse:

    Esta tudo como dantes no quartel d’Abrantes. Pelo menos o Felipe Massa conseguiu ser o primeiro do resto.
    A única dúvida é: será que a Honda vai conseguir repetir o fiasco da primeira década dos 2000?

  17. Marcus Lima disse:

    Numa competição de carros, o ciclo devia ser: interesse do público gera mídia, que gera interesse dos patrocinadores, que colocam mais dinheiro- e isso deveria permitir o crescimento e sustentabilidade da categoria. Quando se vê a fórmula 1 atual, ela é um símbolo de uma má gestão que ignora esse ciclo e esse fato, com a arrogância de quem acha ser ” um fim em si”, existir por si mesma.
    Formula 1 é um produto. Esse produto, a ser ofertado a um conjunto de consumidores, depende do dinheiro de patrocinadores para poder existir. E os patrocinadores o fazem, para vincular suas marcas: e estão interessados em aumentar, crescentemente, a relevância, o interesse, a exposição. Isso significaria, em primeira instância, que gestão da fórmula 1 fosse pensada o tempo todo da seguinte forma: como faço esse esporte ser mais atraente, atingir mais público, fidelizar e agradar mais? É assim? Claro que não. Você cria motores que soam mal: o público chia, se desagrada, e os motores continuam horríveis. Aos invés de criar regras claras, você cria a tal e indecifrável “unidade de força”, os “tokens de desenvolvimento” ( QUE DIABOS É ISSO????), um treino com formato entediante e complicado.
    Quem paga a conta da F1 o faz pelo desejo de usá-la como plataforma de exposição: mais público, mais audiência, mais renda. E aí, seu principal executivo, um Bernie já senil, diz que as mídias sociais não interessam, que jovens não tem dinheiro etc. Assustador isso, assustador: porque quem realmente paga o custo do evento, quem está pagando o produto formula 1 pensa o contrario. E porque o alvo, o consumidor para quem o produto é feito, não foi levado em conta.

    Enfim, a F1 agoniza porque não se percebe o simples: é preciso que o produto construído tenha capacidade de gerar paixão em um público consumidor crescente, para ser capaz de atrair de forma contínua financiamento e assim poder existir.

  18. André Luiz disse:

    Flávio, a Mercedes fez um trabalha fantástico. Temos que parabenizá-la por isso. Muitos estão chorando, mas a Fórmula 1 sempre foi assim. Quando a Ferrari dominava, “era lindo, uma equipe muito competente”. Hamilton e Rosberg estão liberados para brigarem pelo título, o que não acontecia na época em que Ferrari dominava. O Vettel corria sozinho na Red Bull, pois seu companheiro era fraco. Além da equipe não permitir disputa acirrada entre eles. Ah, e os carros este ano estão mais rápidos do que em 2013.

  19. luiz carlos barbosa disse:

    Que merda !! ou volta a ser como no passado ou vai acabar as moscas esse modelo horroroso de campeonato…que saudades dos velhos e barulhentos motores V8 V10 V12…em tempo alguns aqui previam que Vettel tomaria pau do Kimi logo de cara e não foi bem isso que vi nos primeiros treinos.

  20. Cláudio F1 disse:

    É isso aí Flavio, dormir é para fracos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>