MENU

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015 - 21:04Automobilismo brasileiro, Classic Cup

SOBREVIVEMOS

JOÃO PESSOA (morarei aqui) – Estou de férias, e não vou me alongar muito. A prova da Classic Cup no sábado foi deprimente. O vídeo abaixo mostra o acidente mais impressionante de nossa categoria desde sua criação, em 2003 — houve outro no início do ano com um Karmann-Ghia capotado, o Trovão Azul dando perda total e dois Fuscas, idem. Mas igual a este, nunca vimos.

Aliás, o vídeo lá embaixo foi gravado de dentro do Trovão 2, do Rogério Tranjan, que só não contribuiu para agravar ainda mais a situação porque, civilizado que é, fez uma coisa que muitos pilotos da Classic não sabem o que é: frear. Aqui o mesmo acidente pode ser visto de outro ângulo.

O que aconteceu?

Aconteceu que as pessoas que controlam o automobilismo paulista são abaixo da crítica — federação, a FASP, e clubes. A estrutura que eles colocam à disposição dos pilotos é uma piada. Dois carros de resgate, 200 categorias, treinos e corridas. Teve piloto que ficou mais de uma hora com carro quebrado na pista à espera de resgate. Horários apertados. Tudo espremido para dar tempo de fazer o… track day.

Ah, os track days… Quanta grana entra, que delícia! De inscrição e carteirinha, claro, porque agora precisa. Foram 64 carros inscritos neste fim de semana. Teve imbecil virando 1min39s. E gente virando 2min27s na mesma pista. Sem equipamentos de segurança, macacão, santantônio, nada. Apenas um bando de retardados tirando racha na pista e enchendo o rabo de clubes e federação de dinheiro. Vocês têm ideia de quanto é 1min39s em Interlagos? Pesquisem no Google: “Pole Stock Car 2015”. Vejam aí embaixo o que estou dizendo.

quelixo

Uma hora morre alguém. Claro. E espero que, quando isso acontecer, os donos do cirquinho sejam responsabilizados por essa insanidade descontrolada.

Agora, à nossa corrida. No briefing, nos informam que o semáforo não é lá muito confiável. Como assim? Acender e apagar um farol é tão complicado? Bem, complicado não é, mas não é confiável. Então vamos na bandeira. Aceitamos. Mas devo dizer: sem compreender direito como seria aquilo. Largar lançado com bandeira no posto de controle da reta dos boxes num grid de 40 carros com neguinho subindo o Café sem enxergar nada? Sem semáforo, que pelo menos a gente vê a distância?

Bom, só poderia dar merda. O vídeo mostra com clareza. O safety-car saiu da pista a galera acelerou, a bandeira não apareceu, alguns frearam, o Puma amarelo de cano cheio desviou do Bianco que tirou o pé porque não tinha largada nenhuma, jogou para a direita, acertou o Puma vermelho, que acertou o Passat do Marcelo Caslini, que acabou com o teto aberto como se fosse uma lata de sardinha.

Ninguém se machucou, um  milagre.

Corri sem a menor alegria. Guiando mal, sem saber onde estava, preocupado com os amigos que se acidentaram. Na última volta, o Rafinha, que corre na minha categoria, foi parar no muro na reta dos boxes. Bandeira vermelha. Um Gol que estava atrás de mim me passou. Ridículo. Neguinho não vê nem bandeira vermelha — tem gente muito ruim correndo na nossa categoria, um pessoal que chegou agora, nunca andou de nada, acha que é só sentar e acelerar, uma coisa inacreditável. Aliás, no posto seguinte à primeira vermelha que vi, no Laranjinha, o bandeirinha, despreparado, agitava a amarela junto, achando que a corrida tinha acabado, fazendo festa. Patético.

Afastaram, da FASP, o diretor Ernesto Costa e Silva e sua equipe — numerosa, experiente, competente, eficiente, pessoas que sabem o que fazem. Colocaram gente que não tem a menor ideia do que é conduzir uma corrida — e em número insuficiente, afinal é preciso economizar em carros de resgate, comissários, estrutura, para encher as burras de dinheiro com os tontos do track day.

Fora o autódromo, que está um lixo — o prefeito Fernando Haddad não tem desculpas, gastaram uma grana preta na reforma, está tudo caindo aos pedaços, banheiros sem luz, umidade, vazamentos, um horror. Tiraram o Chico Rosa, quem é que manda naquela merda agora? A quem devemos reclamar? Quem é o incompetente que dirige este equipamento municipal?

Voltando à prova, nem sei em que lugar terminei. Acho que 21º, depois de largar em 29º na geral. Talvez sexto, ou sétimo, na categoria. Não sei quem ganhou. Não importa. Está tudo errado. Federação e clubes que só pensam em merdas que nada têm a ver com corrida, como esses track days indecentes e perigosos. Autódromo largado. Comissários e bandeirinhas sem noção. O horror, o horror.

O Bon Voyage está prontinho, é um bom carro, virou 2min12s na classificação, sábado, depois de começar virando 2min17s na sexta. Temos uma meta de chegar logo a 2min10s, quem sabe, em alguns meses, a 2min08s.

Mas o piloto já desanimou. Na segunda corrida do bravo Voyaginho. Vamos ver onde buscar ânimo para seguir.

PS: lamento aqui, profundamente, a morte do professor Rubens Carpinelli, 88 anos, que durante décadas presidiu a FASP. Um apaixonado por automobilismo, com quem discuti asperamente várias vezes — mas todas as discussões acabavam com um abraço carinhoso, porque nos gostávamos, era um velhinho que me tratava como se eu fosse seu neto. O Professor, como sempre o chamamos, estava afastado havia algum tempo, com a saúde debilitada. O Américo Teixeira Jr. escreveu sobre ele com ternura e serenidade em seu blog. Fique bem, Professor.

105 comentários

  1. João Colatrello disse:

    Flavio, entendo o seu ponto de vista em relação ao Track Day usar o mesmo dia das provas do Paulista, isso acontecia com o Racha Interlagos e o Drag Racer. ou melhor acontece ( só que hoje estão no lixo da reta oposta). Mas a minha pergunta é o culpado é o locador e não o locatário, quem oferece o produto a janela de horário é quem está alocando a pista. Se formos fazer uma prova de bicicleta e o locador disser tenho um horário legal com preço mas é no dia do Paulista beleza ? Porque vou pagar mais caro ?

  2. Anselmo Coyote disse:

    “No briefing, nos informam que o semáforo não é lá muito confiável. Como assim? Acender e apagar um farol é tão complicado? Bem, complicado não é, mas não é confiável. Então vamos na bandeira. Aceitamos. Mas devo dizer: sem compreender direito como seria aquilo. Largar lançado com bandeira no posto de controle da reta dos boxes num grid de 40 carros com neguinho subindo o Café sem enxergar nada? Sem semáforo, que pelo menos a gente vê a distância?

    Bom, só poderia dar merda. O vídeo mostra com clareza. O safety-car saiu da pista a galera acelerou, a bandeira não apareceu, alguns frearam, o Puma amarelo de cano cheio desviou do Bianco que tirou o pé porque não tinha largada nenhuma, jogou para a direita, acertou o Puma vermelho, que acertou o Passat do Marcelo Caslini, que acabou com o teto aberto como se fosse uma lata de sardinha.”

    Isso aí é o resumo e não vejo qualquer relação disso com os participantes do Track Day que com 64 carros dirigidos por imbecis, um deles virou chegou a virar 1m39, e tudo correu bem aconteceu.

    Já na corrida d’Os caras, os profissionais, os ban-ban-bans, com um grid de 40 carros virando a 2m72., deu merda. E que merda!

    Fala sério! Os pilotos profissionais aceitaram largar em condições inaceitáveis, alguns se comportaram como se não tivessem largando em condições completamente inadequadas e… Merda espalhada pra todo lado.

    Sinceramente, o que os participantes do track day tem a ver com isso? São imbecis porque correm sem os equipamentos de segurança? Digamos que sim, e há uma desculpa, pois são amadores e não sabem avaliar os riscos. Mas, os “caras”, os “fodões”, os “profissionais” pagam uma fortuna para correr, aceitam que uma parte ridícula dessas fortunas não tenha sido usada para comprar um semáforo que funcione lhes desse segurança, correm em condições absolutamente adversas e…. Merda. Merda mais do que esperada, tragédia anunciada, obviamente claríssima para os “fodões”, os “caras”, os “profissionais”. Mas imbecis são os amadores do track day. Entendi.

    Abs.

  3. Leo disse:

    Caro Flavio.
    Sinceramente, houve uma sobreposição de assuntos muito surreal em seu texto / desabafo. Sou uma pessoa bem, digamos, dividida entre aprovar ou não os trackdays. Mas cabe culpar os trackdays pela merd* que aconteceu no acidente que, aliás, não foi em um evento de trackday e sim numa prova com pessoas que, teoricamente, deveriam prezar mais pela saúde do companheiro. A desorganização do evento também nada tem a ver com os trackdays. Talvez por isso a galera esteja te massacrando. Curto o teu espaço, apesar do viés esquerdo-fundamentalista (que respeito como religião e encaro como algo pitoresco, principalmente pelas curiosidades soviéticas que compartilha conosco), mas dessa vez forçou a barra…

    • Laercio disse:

      Concordo contigo….ele descarregou a falta de organização da categoria culpando o track day……..coisa que existe em vários paises do mundo….mas ai ele vai dizer…quer correr em pista se inscreva em campeonato…..se empatar com o FG ja sinta-se vitorioso.

      • Flavio Gomes disse:

        Ô tonto, track day não pode ser realizado se aproveitando de subsídios esportivos de competições, tirando tempo de pista dessas. Entendeu ou quer que eu desenhe?

  4. Christian Capato disse:

    Desejo a todos muita luz, saúde e amor, e que neste Natal possamos renovar nossas esperanças e objetivos, superando assim todos os obstáculos para tornarmos nosso mundo digno das bençãos que neste 2015 recebemos, e que nos propiciam hoje a oportunidade de desejar e receber mais um Feliz Natal.

  5. Rubergil Jr disse:

    Ah, deu uma vontade de relembrar os velhos tempos… ultimo GP de Formula 1 no Interlagos velho:

    https://www.youtube.com/watch?v=hM2p2_iHPag

    Ah, uma curiosidade: acho que os 3 únicos pilotos que disputaram corrida de F1 tanto no velho Interlagos como no novo, foram Piquet, Prost e Patrese.

  6. Rafael Mafra disse:

    Aconteceu algo parecido na década de 80 em Cascavel dando perca total em alguns Dodgões. problemas na largada.

    https://www.youtube.com/watch?v=CA-o4hT_MFE

  7. Celio Ferreira disse:

    Li os comentários ,está tudo errado, e pelo que entendi o track days , estão
    aproveitando a estrutura montada pela classic, para os filhotes de papai
    brincar de racha em Interlagos, ora que paguem em separado e brinquem
    a vontade , se morrer alguem paciência , quem procura acha,

  8. José Angelo disse:

    Ficaria em 3º no grid da Stock e mais dois ainda teriam vaga no grid. Muito insano isso…

  9. Thiago disse:

    O comentário sobre as condições precárias do automobilismo brasileiro é deveras oportuno. Mas perdeu uma grande chance de não vomitar merda ao falar sobre os track days. Vê-se que o único imbecil é o autor do texto. Saia um pouco do buraco que Vc se esconde e vá conhecer o mundo. Vá visitar os países referência em automobilismo e veja com seus próprios olhos a importância dos track days para os lugares que criaram e que mantém o desenvolvimento do esporte a motor. Recalque é uma desgraça do brasileiro mesmo…

    • Flavio Gomes disse:

      Ô pequeno bebê Johnson, os track days têm sido subsidiados pelo automobilismo esportivo. Quem organiza paga aluguel subsidiado para atividades exclusivamente esportivas para colocar você e seus amiguinhos na pista com seus carros ridículos. Quer andar na pista? Pague o aluguel e ande. Não se pendure em atividades esportivas como os campeonatos de competição. Agora vá à puta que pariu.

  10. Rodrigo disse:

    Caramba!!!!!!!! Vc esta de férias na minha cidade, e parece que ta gostando, pelas primeiras palavras do post. Seja bem vindo……. Tenha ótimas férias, e, se precisar de algo, estamos às ordens…..

  11. Leandro Castro disse:

    Só uma observação: O carro que virou 1:39 é um Radical, um protótipo, que deve oferecer todos os equipamentos de segurança necessários.

  12. Galba Cunha disse:

    Com esse temporal que eu fiz: 1,39191 , largaria em 3 no grid de interlagos em 2015.Loucura total!!

  13. Brabham-5 disse:

    Lamentável.
    1 – Essa molecada acéfala que quer ser Ayrton Senna no final de semana em Interlagos, sem ter o minimo de noção do pregigo e do respeito aos “colegas” na pista;
    2 – O “jeito Haddad” de “preservar e administrar” tudo nessa cidade (agora chegou á Interlagos);
    3 – E a essa mania de desvirtuar e corromper tudo em nome do lucro, colocando a segurança, a organização, a educação e a ética “de lado” na hora de organizar qualquer evento nesse país.
    Se aqui os museus e casa noturnas não tem nem alvará do corpo de bombeiros e/ou da prefeitura, imagine o que podem fazer com Interlagos.
    Aqui, pra funcionar direito, organizado e sem desvios, só trazendo gente de fora.
    E não falo só do automobilismo.

  14. Lauro Kennedy disse:

    Espero que um dia vc venha mesmo morar em João Pessoa, sugiro Natal-RN, pois é onde moro, para assim quem sabe alavancar o automobilismo dessa região, me refiro ao nordeste em geral, Caruaru e Salvador ficaram de fora da temporada 2016 da STOCK CAR!!!!!!!! Fica o convite!!!!!! João Pessoa pelo menos está com um projeto de autódromo que me parece viável, já Natal o único kartódromo q tinha foi transformado em estacionamento para a ARENA DAS DUNAS!!!!! Enfim… seja bem vindo antecipadamente!!!!!!!

  15. João Silva disse:

    É assustadora a forma como o tejadilho do carro abre como uma lata de sardinha mas concordo que grande parte do problema quer no Brasil quer aqui em Portugal é que as entidades cobram taxas por tudo mas na altura de garantir meios para se praticar automobilismo com responsabilidade ninguém aparece.
    Quanto ás diferenças de andamento elas vão sempre existir nos track days mas este assunto também me traz ao pensamento todos aqueles carros civis no
    “Inferno verde” na Alemanha, eu nunca estive lá mas alguém me diz que tipo de controlo ou meios de assistência existem lá ? o youtube está cheio de vídeos de acidentes graves que ocorrem por lá, não querendo comparar acho que todos têm direito a andar em pista mas mediante o cumprimento de requisitos de segurança e com condições asseguradas por quem recebe para organizar, por exemplo o episódio de um piloto ultrapassar com bandeira vermelha é lamentável mas isso é o próprio piloto que tem que respeitar, a segurança também no Automobilismo começa em nós mesmos.
    Flávio Gomes me desculpe o Off Topic mas como se falou no Nurbugring tomo a liberdade de partilhar consigo uma página que todos os dias é atualizada com fotos fantásticas, estou a adorar ver e por isso partilho consigo e com os demais leitores, espero que goste , está em http://itsawheelthing.tumblr.com/.
    Cumprimentos

  16. Valdeno disse:

    Fala Flavio?
    Esta em JP? Ate qdo?
    Estou aqui tb, se quiser podemos andar de kart no meu Kart Indoor hoje oi qdo quiser, fica num shopping da cidade… Eh meu convidado!
    Abraco e espero que goste da nossa cidade!

  17. Marcelo - Araraquara disse:

    Flavinho, e o chico buarque? ele é o cara.

  18. Diego Ximenes disse:

    Vc vai passar por Fortaleza depois de João Pessoa?

  19. Leandro disse:

    Sou participante de trackday faço de 3 a 4 por ano.. pois é o que o que da pra manter.. afinal não é todo mundo que pode dispender de 50 a 70 mil por ano pra se manter numa categoria base.
    Nunca vi um acidente mais serio nos trackdays… diferente do que vejo nas “categorias homologadas” onde é literalmente um destruction derby.. e até onde sei.. o equipamento minimo (capacete , roupas fechadas) são obrigatório pra entrar na pista .. existe um briefing antes.. explicando como proceder , o que pode o que não pode … isso tinha que ser divulgado ao invés de usar um termo “Apenas um bando de retardados tirando racha na pista” , até onde consta .. um autódromo foi feito para CORRER !!!! estamos tirando a cultura de racha na rua e levando as pessoas pra um lugar que ela não coloque outras pessoas em risco.. que Interlagos sofre nos últimos anos não é novidade., o apoio ao automobilismo é pífio , perdemos Jacarepaguá , vamos perder o AIC e brasilia está fechado a mais de anos .. não coloque a responsabilidade na conta do trackday da desorganização por parte da federação… um trackday no mesmo dia de uma corrida é de uma burrice sem fim … no mais.. espero que os trackdays fique mais baratos e mais comuns por aqui.. pois isso ajuda a manter a estrutura do autódromo que é cara , e que assim possa ser incentivado as categorias menores…

    • Flavio Gomes disse:

      Espero que os track days parem de se pendurar em fim de semana de corrida. Se organizem como quiserem, mas não tirem tempo de pista de quem está competindo. E não se valham dos subsídios que os clubes e a FASP obtêm para alugar o autódromo para corridas. Montem clubes, associações, o que quiserem. Vão na SPTuris e aluguem a pista. Montem suas estruturas, ambulância, bandeirinhas e o caralho a quatro. O que acontece hoje é que pilotos pagam por uma estrutura (de merda, diga-se) que vai ser usada pelos bacaninhas com seus carrões. Se virem. Ou então venham correr de verdade.

  20. Rogerio disse:

    Eu tive o prazer de viver as corridas de Interlagos na decada de 70. Apesar de ser novo, ia bastante em Interlagos ver corridas fantasticas, com pilotos fantasticos como Piquet, Guarana, Chatô, Ingo, Paulão e muitos outros. Corridas organizadas, varias categorias e que revelaram muitos pilotos de altissima categoria. Isso infelizmente acabou. O automobilismo brasileiro agoniza há tempos. A ‘maior’ categoria é a tal da stock car, que me desculpem os fãs, acho uma droga.
    Quanto aos track days não sou contra, Mas façam em dias que não tem corrida.
    Se o cara quer se matar em um autodromo, assine um termo de responsabilidade, vá lá e se mate. Eu iria em um. Tanto de carro quanto de moto.
    Desde que fosse organizado, com socorro, etc, etc….
    Quanto ao estado do autodromo, é uma pena. Quando foi feita a reforma, você falou que não era o ideal. Eu concordei. E critiquei. Pois a F1 é o segundo evento que mais traz turistas para a cidade e o que mais rende com gastos destes turistas, portanto, acho que a prefeitura deveria tratar esse autodromo com mais carinho.
    No resto, FG, concordo com tudo que você escreveu.

  21. Eduardo Britto disse:

    Em Interlagos, no Museu da Língua Portuguesa, no Viaduto do Chá, em Brasília, no ônibus e na padaria, quando as pessoas largarem seus mobiles, seus uotizapis e faces, e focarem pelo menos 50% do tempo em suas obrigações profissionais, vamos recuperar um pouco da qualidade perdida em tudo. Boas Festas, uma pausa de paz para todos nós!

  22. JT disse:

    O que é pior? Tirar racha em Interlagos colocando em risco pessoas conscientes do mesmo? Ou tirar racha na Rodovia dos Bandeirantes – com serviço de filmagem por helicóptero – colocando em risco a vida de desavisados?

    Segue o link:

    http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/2015/12/porsches-colidem-durante-suposto-racha-na-rodovia-dos-bandeirantes.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *