MENU

Friday, 27 de November de 2015 - 20:32Automobilismo internacional

PARA O MUNDO

roboraceLONDRINA (e esse “para” aí em cima é verbo, não preposição; maldita reforma ortográfica) – A Fórmula E vai introduzir na sua próxima temporada uma sub-categoria. Detalhe bastante relevante: os carros não terão pilotos. Isso mesmo, carros sem pilotos, elétricos, comandados por inteligência artificial.

Roborace é o nome da bagaça.

Estou ficando com medo do futuro.

24 comentários

  1. Seinfeld says:

    Imaginem uma corrida de F-E só com carros robôs, com aquele “assobio” como barulho de motor, em circuitos improvisados e truncados, e grid boys antes da largada.

    E sem champanhe no pódio claro! Alcool e direção não combinam” né?

    Ah! E um pódio com 20 degraus para caberem todos os participantes, afinal ninguém pode ser “discriminado”, se sentir “perdedor” e ficar magoadinho!

    E a politica de cotas hein? Tem de ter pilotos de todos os continentes, piloto de todas as raças, de todos as orientações sexuais…

    Não pode soltar pum, nem dizer palavrão.

    “Politicamente correto”.

    O politico e ecológicamente correto e seguro é uma MERDA que tira a graça , a cor e o gosto de TUDO.

  2. Brabham-5 says:

    Se já existiam pessoas que diziam que a F1 atual era uma geração de pilotos de videogame, taí a F-E ESTRAGANDO o automobilismo com essa idéia ESTÚPIDA.
    Nunca fui torcedor pacheco no automobilismo, mas se os pilotos brasileiros atuais (Nelsinho, Bruno Sobrinho e Dis Grassi) derem um bico nessa categoria, que agora vem com esse tipo de “inovação”, nem quero mais saber de F-E.
    Quero saber o que dizem os pilotos da F-E sobre essa “idéia” de algum engenheiro que não tem coordenação motora nem gosta de dirigir…
    Deve ser um monte de nerds que dormem com mulher inflável ou robôs.
    Vai virar autorama mesmo?

  3. Gabriel says:

    Posso me inscrever com o meu kyosho fw6? Ele é um v1 carburado!!!

  4. Guilherme Bezerra says:

    Só consigo compreender a criação e realização dessa categoria, completamente inútil, para atender determinados interesses (financeiros, provavelmente) de algum grupo. Mais pra frente isso deve vir à tona.

  5. Estevão says:

    Pelo jeito a turma não aprovou a ideia. No Twitter da FE tem uma enquete se o cabra gostou ou não. O não está vencendo.
    De lavada.

  6. Flávio says:

    Muito bacana!
    Espero que consiga assistir, nem que seja pelo youtube.

  7. voulembrar says:

    Corrida de autorama só tem graça para quem tem carro na pista… A teoria da computação já provou que um computador (robô) não pode fazer outro computador (robô). A inteligência artificial, por mais esperta que seja, é apenas uma reprodução de nossa inteligência, ou dos programadores que a desenvolvem. Então a corrida no fundo vai ser de equipes de desenvolvimento… ou seres humanos, nos moldes do que já acontece com futebol de robôs. O problema é que no esporte, nos queremos ídolos bonitos, fortes, super-heróis. Mesmo competindo por equipes, sempre arrumamos um jeito de dizer que alguém é o maior, que carrega o time, etc. Então não acho que esse formato vai dar certo, inclusive num meio onde só tem gente babaca, que gosta de se colocar por cima dos outros. Ninguém vai torcer por uma equipe de Nerds, coitados. Ninguém da valor a inteligência, apenas as aparências.

  8. Alvaro Ferreira says:

    É que nem sexo virtual, tem quem goste….

  9. Paulo F. says:

    Dispensável. Nem necessita explicar a razão.
    Mundo besta!

  10. Arthur Luz says:

    Já cantei essa pedra há muito tempo.

  11. Chupez Alonso says:

    Picaretonso já está de olho numa categoria que lhe seria ideal:

    Rouborace!

    Para ser vice, claro.

  12. Gabriel P. says:

    Muito bom.
    Certamente com o tempo, não fará mais nenhum sentido seres humanos se arriscarem a perderem a vida ou se machucarem se é possível ter corridas de carros com “robôs”
    Aliás como hoje.
    Quem ainda escreve e envia cartas?.
    Quem usa maquina de escrever?
    Quem fotografa com filme e manda revelar?
    Quem ouve musica com K7 ou filme ?
    Quem usa telefone com discagem em disco?
    Quem se recusa a usar controle remoto nas TVs?
    Logo haverá um tempo em que…
    Quem vai perder tempo dirigindo carro, se ele pode ir sózinho?

  13. joao henrique says:

    Putz…aí eu paro de assistir automobilismo de uma vez por todas…substituir o personagem central? Aí não dá…

  14. Robertom says:

    Querem saber, os robôs vão tomar um binóculo dos humanos,,,,

  15. Geraldo says:

    Era algo previsível neste sentido. Mas, vamos torcer pra quem? Prefiro o meu Autorama !!!

  16. Glauco Tavares says:

    Simplesmente ridículo! O mundo vai ficando cada vez mais chato…

  17. Mustavo Gaia says:

    Interessante enquanto exposição de tecnologia.
    Talvez faça diferença no mundo do ralí.
    Poderia deixar os robos cruzando continentes sozinhos por semanas..
    Pergunta importante: Assistiria? sim.

  18. Douglas says:

    Eu achei o máximo porque não vai ser corrida de carrinho por controle remoto, é batalha entre softwares de computador! Acho que essa categoria tem tudo pra contribuir enormemente com a construção de carros autônomos, deve atrair a atenção de muito peixe grande. Tomara que seja tão disputada quanto uma corrida convencional.

  19. Marcelo says:

    Tá começando a ficar difícl projetar o futuro, já estamos ficando sem referências imaginárias, tudo já acontece. Esta já nem é tão nova, mas igualmente surpreendente.
    https://youtu.be/rFfiULkjjI4

  20. Mario Mesquita says:

    É a matrix tomando forma…

    Querem tornar o ser humano obsoleto a todo custo.

    Mas vão dizer que não, é o progresso, as merdas de sempre.

    • Carlos says:

      Boa noite!

      Eu acho do cacete esse negócio. Ao menos para desenvolver novas tecnologias, já que trabalho na área (Engenharia e IA). Sabe-se lá se a corrida em si terá emoção.

      Lendo a reportagem, percebe-se que a ideia não é tornar o ser humano obsoleto e não é criar um substituto para as categorias de automobilismo. É o puro desafio!

      O componente humano sempre será parte importante do automobilismo, com seus personagens: o mala e o legal, o arrojado e o meia-boca, o trapaceiro e o deus, o barbeiro e o habilidoso. Porém, se esses fatores humanos não importarem mais para os espectadores e a Roborace for tão atrativa quanto as corridas com seres humanos, a culpa não será de quem desenvolveu a corrida sem pessoas. Será das pessoas que se tornaram desinteressantes demais.

      • Mario Mesquita says:

        Olá, Carlos.

        Veja, eu trabalho com informática e por esse prisma, realmente deve ser interessante. Ia gostar de estar numa equipe de desenvolvedores desses carros, com certeza.

        Mas estou estendendo essa visão para o mundo real. Um futuro em que querem alijar o trabalho humano colocando robôs, usando a tecnologia para controlar as pessoas praticando um tipo de engenharia social, aquelas coisas que vemos em filmes de ficção com seus futuros distópicos, pode escolher: Blade Runner, THX 1138, Brazil, Matrix… Sempre os achei divertidos e interessantes, mas vê-los se tornar realidade não tem graça nenhuma. Sempre acreditei que a tecnologia tem que nos ajudar a viver e se aperfeiçoar, reduzir diferenças, salvar vidas. Conhecendo quem é o tipo de pessoas que comandam o mundo, creio que não será bem assim…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *