DO DIA NA HUNGRIA (1)

buttonesnahungria

SÃO PAULO(o que está acontecendo?) – Não sei se dá para ficar falando de Fórmula 1 num dia como hoje. Em tempos como os de hoje — falo de Nice e Munique, cidades que para mim são tão importantes e caras.

Na pista, na Hungria, deu Rosberg. Hamilton bateu e perdeu muito tempo de treino. Deu apenas quatro voltas e depois do acidente a Mercedes achou melhor não devolvê-lo ao asfalto.

[bannergoogle]Nico enfiou 0s5 no segundo colocado, Ricciardo. O líder do Mundial renovou seu contrato com a equipe prateada por mais dois anos. Fez muito bem, claro, como bem fez a Mercedes de ficar com o rapaz. Ele é bom piloto. A Ferrari, em terceiro, ficou quase um segundo atrás com Vettel. Alonso e Button (foto), em sétimo e oitavo, mostraram que, num circuito onde chassi é mais importante que motor, a McLaren tem um bom carro. Alonso, aliás, fez sua melhor corrida de 2015 em Hungaroring. Dá para sonhar com pontos.

A Williams ficou definitivamente para trás. Não anda bem em pista rápida, em pista lenta, na rua, na chuva, no seco. Vai acabar sendo ultrapassada pela Force India, certeza.

Recapearam a pista, que está mais rápida. O tempo da pole do ano passado já foi batido por Rosberguinho. Dos pneus macios para os supermacios, a Pirelli calcula 1s3 por volta. Os médios, também levados a Budapeste, são mais de 2s mais lentos que os mais macios escolhidos para o fim de semana.

Pode chover amanhã na classificação.

Comentários

  • Pra mim a Mercedes fez errado.

    O Alonso tem uma cláusula no contrato que diz que ele pode sair em caso de mau desempenho da equipe.

    Era só chamar o mestre para 2017, que os Alonso haters cagando ou não, o cara ainda é o melhor da F1.

    • Os homens da Mercedes sabem que teriam mais problemas do que ganhos, caso unissem Hamilton/Alonso na equipe (dois egos que se tornaram antagônicos em 2007).
      Acredito que essa dupla, pelo menos na F-1, não mais figurará na mesma equipe (a não ser uma pequena).
      Os haters do Alonso estão despreocupados. O espanhol está em franca curva descendente e já pensa em mudar de categoria, se até o ano que vem não avistar reais possibilidades na F-1 (fonte: statsf1).

      Ah, sim! O mestre já correu pela Mercedes.

      • Alonso na Mercedes só daria certo se o seu companheiro fosse o Rosberg. Dispensar Hamilton para trazer o espanhol é andar pra trás, levando-se em conta que o inglês já está aclimatado na equipe e é tão bom quanto.