MENU

terça-feira, 18 de março de 2014 - 11:00Automobilismo brasileiro, Foto do dia

FOTO DO DIA

Na quinta edição do Velocult ontem à noite no Conjunto Nacional, muitos de meus ídolos eternos. Na foto, da esquerda para a direita, o organizador Paulo Soláriz junto com Paulo Gomes, Emerson Fittipaldi, Marinho e Ingo Hoffmann — estes “assinando” os moldes onde gravaram suas mãos mágicas para o Hall da Fama do automobilismo brasileiro. Aqui, cobertura do evento feita pelo Marcos Júnior no “Terceiro Tempo”.

hallfamabrcult

17 comentários

  1. Marcão disse:

    Da hora….Sou muito fã do Ingo, acho que ele foi um dos nosso pilotos mais consistente.

    Flavio vi esse texto, uma história de bastidor da F1 nos anos 90… foi tirado do Blog da Betise Assumpção, achei bem legal

    abs

    Eram milhares os pedidos. Provavelmente o mais delicado de todos aconteceu durante o GP de San Marino, em maio de 1992, uma semana depois do terrivel acidente do Nelson Piquet em Indianapolis. Um jornalista ingles estava passando um poster pelo paddock para ser autografado por todos os pilotos. Lembro quando me incumbiram de pedir ao Ayrton que assinasse e escrevesse um recado pro Nelson. Fiquei apreensiva. Eles não se falavam. Esta, porém, era uma daquelas situações que eu não podia deixar de lado, decidir por ele ou esperar ate’ a semana seguinte quando ele estivesse longe do ‘local de trabalho’.

    Nesta, eu precisaria caprichar. Esperei até o final da tarde de sabado quando a tomada de tempo ja’ tinha acontecido e o set up pra corrida ja’ havia sido decidido. Ayrton estava sozinho numa salinha dentro do motorhome comendo algo leve, lendo uns papéis. Pedi licença pra entrar, cheguei perto dele e, o mais delicadamente possivel, expiquei a razão de estar ali.

    Ele levantou a cabeça, limpou a mesa toda, esticou o braço e pegou o poster. Abriu-o e leu atentamente cada uma das outras dedicatórias – eu sempre admirei como, não importava o quão ocupado ou estressado o Ayrton estivesse, ele sempre dava toda a sua atenção quando se propunha a fazer algo. De repente, deu uma boa risada. “Esta aqui e’ a que o Nelson mais vai gostar” e apontou para o recado assinado por Nicola Larini “Non ti preoccupare, la gamba più importante è quella midde” (não se preocupe a perna mais importante e’ a do meio). Depois concentrou se e demorou alguns minutos pra escrever a sua. Parecia escolher cada palavra com o maior carinho. Foi uma mensagem sincera e honesta. Não queria ser mal interpretado e precisava evitar a palavra Deus pois sabia que Nelson não era religioso como ele. Estava visivelmente emocionado. E eu tambem.

    http://betisesportsworld.net/category/ayrton-senna/

  2. Marcelo disse:

    Flavio boa tarde, tem como pedir pro pessoal separar a tela de comentários da tela do post?? facilita bem nossa vida.

    abçs…

  3. Correa disse:

    Lendas vivas juntas!!

  4. Marcos Ferreira disse:

    Flavio, onde essas mãos ficarão expostas?

  5. Stephano Zerlottini Isaac disse:

    Absolutamente sensacional!

  6. Ulisses disse:

    Putz!!!!!
    Feras!!!! Todos eles!!!!!
    Inesquecíveis, mas merecem todas as homenagens protocolares de quem ama essa arte!

  7. Renato Soares disse:

    Grande Marinho. Pessoa simples , tive o prazer de conhecê-lo em um dos Blue Cloud em
    Pouso Alto. No despertar do dia eu bajulava o Belcar do vô Olympio , Marinho aproximou e começamos a conversar. Nos apresentamos e então vim a saber quem era aquele senhor
    simpático. Justa Homenagem ao Marinho.

  8. Luciano M disse:

    Cadê Nelson Piquet nesse evento ?

  9. Evandro disse:

    Um país que cuida de sua história, mantém memória de seus ídolos é um país que pode crescer. Felizmente existem pessoas dispostas a se dedicar a essa faina em seus esportes preferidos. Muito bom saber que temos alguém cuidando da memória do automobilismo. Parabéns. Votos de sucesso e longevidade na empreitada.

  10. Dá uma olhada FG. Os australianos acham que Interlagos é um tradicional circuito no Rio de Janeiro!!!

    http://www.v8supercars.com.au/news/championship/frosty-ready-for-hot-time-in-rio

    • Ulisses disse:

      É, parece que não é só lá que o jornalismo está com problemas … rsrsrsrssss
      Só deixamos de ter Buenos Aires como capital do Brasil quando inauguramos Brasília. Ainda existe alguma “inércia” desse tipo em nossa imagem externa.

      Envie um e-mail para eles dizendo que Interlagos fica em Porto Alegre, eu envio dizendo que fica em Recife, peço para um amigo enviar outro dizendo que fica em Manaus, quem sabe assim eles não pesquisem um pouquinho … só para tirar a dúvida.

    • Luiz Morais disse:

      Caro Jorge, não seja tão exigente com coisas que não fazem diferença a eles. É tão normal achar que Interlagos é no Rio quanto achar que a capital do Brasil é Buenos Aires. Assim como é normal brasileiro achar que a capital da Austrália é Melbourne ou Sidney, como achar que a capital do Canadá é Toronto ou a dos EUA ser NY! Vejo com muita freqüência esse tipo de comentário. Por exemplo, vc saberia dizer qual é a capital da Bosnia ou da Servia ou ainda do Vietnã? Provavelmente não, porque esse países não lhe dizem muito. O Brasil, não significa muito para a Austrália. É uma questão de interesses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>